JORNALISTAS GUINEENSES SÃO NAZIS?

O Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, instou (ordenou, mais exactamente) o Ministério Público e o Ministério da Comunicação Social a actuarem contra a Direcção do Sindicato dos Jornalistas, que considera “caduca”. issoco Embaló reagiu, à saída da reunião do Conselho de Ministros, a que presidiu, à tomada de posição do Sindicato dos Jornalistas e Técnicos da Comunicação Social (Sinjotecs) da Guiné-Bissau que, na semana passada, apelou ao boicote das actividades do Presidente. “Eu mesmo boicotei os jornalistas (…), eu mesmo decretei que boicotei o Sindicato dos Jornalistas, que é…

Leia mais

EMBALÓ COM PUTIN, DEPUTADO COM DROGA

Na mesma altura em que o Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, desfilava em Moscovo ao lado de Vladimir Putin, um deputado guineense do Movimento para a Alternância Democrática (MADEM-G 15) Manuel Irénio Nascimento Lopes, de 57 anos, foi detectado no Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, após um voo da transportadora aérea portuguesa TAP proveniente de Bissau, com 13 quilos de cocaína dissimulados na bagagem. ste é o segundo caso de suspeita de tráfico de droga por parte de individualidades guineenses detidas no Aeroporto de Lisboa nas últimas semanas. O…

Leia mais

TODOS COM EMBALÓ… ENQUANTO ELE ESTIVER NO PODER

O Presidente da República de Angola, João Lourenço, conjuntamente com o Presidente do MPLA (João Lourenço) e com o Titular do Poder Executivo (João Lourenço) transmitiu hoje uma mensagem de encorajamento e solidariedade ao seu homólogo da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, na sequência da tentativa de golpe de Estado de terça-feira. O chefe de Estado angolano “telefonou ao Presidente da Guiné-Bissau a meio da manhã desta quarta-feira, 2 de Fevereiro”, segundo uma nota divulgada na página de Facebook da Presidência angolana. Angola, na qualidade de presidente em exercício de uma…

Leia mais

Mensagem a ter em conta
para além do mensageiro

O autoproclamado Presidente da Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, declarado vencedor das eleições presidenciais pela Comissão Nacional das Eleições (CNE), criticou duramente a intervenção do Chefe de Estado angolano, João Lourenço, nos assuntos internos da Guiné-Bissau e considera Angola como o país mais violento de África. Apesar de reconhecermos que Sissoco não é, em termos de honorabilidade política, flor que se cheire, importa analisar a mensagem e não o mensageiro. É que mesmo políticos pouco recomendáveis (que existem em fartura em Angola) às vezes dizem coisas certas. Acresce, ou não, que…

Leia mais