A colónia dos vampiros

Arão Tempo, o advogado que defende os três activistas políticos detidos em Cabinda, desde Junho de 2020, criticou hoje a falta de apoio por parte das organizações de defesa dos direitos humanos internacionais e nacionais. O dono da colónia, o MPLA, continua a usar a razão da força, mandando às urtigas a força da razão. Comunidade internacional, incluindo Portugal, continua a cantar e a rir. Arão Tempo, que representa os três activistas acusados dos crimes de rebelião, ultraje ao Estado e associação criminosa, disse hoje, em declarações à agência Lusa,…

Leia mais

Pensar passa a ser crime

O MPLA, partido que “só” está no poder em Angola desde 11 de Novembro de 1975, defendeu hoje – num manifesto atentado contra a inteligência dos cidadãos – que se deixe as instituições de justiça realizarem o seu trabalho sobre os 15 jovens activistas detidos por suspeita de crime contra a Segurança de Estado. O posicionamento do partido liderado pelo também presidente da República, nunca nominalmente eleito, José Eduardo dos Santos, foi hoje expressado pelo secretário para a Informação do Comité Provincial do MPLA de Luanda, Norberto Garcia, em conferência…

Leia mais