BPC “afunda” banca angolana

Os resultados líquidos da banca angolana afundaram 237% em 2020, com perdas de 218 milhões de euros reflectindo o reconhecimento da menos-valia na cessão de 80% da carteira de crédito malparado do Banco de Poupança e Crédito (BPC, público) à RECREDIT. Os dados constam do relatório “Banca em análise” da Deloitte Angola hoje apresentado e no qual se dá destaque à “trajectória mista dos principais indicadores do sector face a 2019” e onde se refere que o resultado líquido do sector bancário nacional registou uma redução para um valor negativo…

Leia mais

BES/BESA? Gestão ruinosa

BES/BESA? Gestão ruinosa - Folha 8

O segundo bloco da auditoria que a Deloitte conduziu ao BES indica que poderá ter havido “gestão ruinosa” na exposição do banco ao BES Angola (BESA), de acordos com o sumário executivo a que a agência Lusa teve acesso. “N a ausência de um racional económico que legitimamente justifique o aumento de exposição do BES ao BESA”, este poderá “ser configurável como um potencial acto de gestão ruinosa”, indica o texto. Tal gestão potencialmente ruinosa terá sido desenvolvida “em detrimento dos depositantes, investidores e demais credores por parte dos membros…

Leia mais

Deloitte põe água na fervura

Deloitte põe água na fervura - Folha 8

O director da consultora Deloitte em Angola considerou hoje que as autoridades angolanas têm consciência dos “tempos difíceis que se aproximam”, mas salientou que as empresas, de uma forma geral, continuam a estar interessadas em investir no país. “A s empresas continuam a querer investir, porque quando tomam decisões de investimento já pensam nestes problemas, portanto continua a haver pedidos de trabalho e interesse em investir no país, principalmente de entidades externas, mas é um facto que as autoridades angolanas têm a noção de que vêm aí tempos difíceis”, disse…

Leia mais