“Batatas podres” da Polícia

O comandante-geral da Polícia angolana, Paulo de Almeida, admitiu hoje que vários agentes policiais praticam “burlas, falsificações e extorsões a cidadãos”, prometendo combater as “batatas podres” no seio da corporação. Ainda bem que, ao que parece, os chefes não armazenam “batatas podres”. Ou será que há? Recorde-se que Paulo Gaspar de Almeida é arguido num processo que está a ser apreciado pelo Tribunal Supremo. O comissário-chefe Paulo Gaspar de Almeida, foi constituído arguido (processo n.º 16/17-DNIAP) por esbulho violento de uma quinta de 12 hectares, em posse do camponês Armando…

Leia mais

“Panda” pede desculpa e agradece. Almeida critica

O ex-Comandante-Geral da Polícia Nacional de Angola, Alfredo Mingas “Panda”, pediu desculpa aos cidadãos por eventuais erros ou falhas que tenha cometido fora ou no exercício das suas funções. O seu sucessor, comissário-chefe Paulo Gaspar de Almeida, acusa “alguns” funcionários da PGR de conivência no processo que contra corre os seus trâmites no Tribunal Supremo. João Lourenço parece estar com dificuldades em recrutar no seu quintal exclusivo, o MPLA, gente que não tenha rabos-de-palha. Como aqui escreveu o nosso colega Sedrick de Carvalho, o partido que nos desgoverna desde 1975…

Leia mais