«PRETO EXPLORA PRETO, CHEIRA A TEMPO COLONIAL»

O rapper português Valete está disposto a perpetuar a mensagem e o espírito do seu “mano Azagaia”, o artista moçambicano falecido em Março e que foi “a voz das angústias” dos jovens e do povo africano, que o idolatravam. O Folha 8 junta a Azagaia o Jornalista Carlos Cardoso, assassinado em Moçambique em Novembro de 2000. alete, nome artístico de Keidje Torres Lima, um dos promotores do espectáculo que na quinta-feira reúne em Lisboa 22 músicos numa homenagem ao rapper e activista moçambicano, diz que, “muito mais do que músico,…

Leia mais

HOMENAGEM A AZAGAIA

Valete, Sérgio Godinho, Paulo Flores, Maria João e Karyna Gomes são alguns dos 22 músicos que na quinta-feira dão um espectáculo em Lisboa como homenagem ao rapper e activista moçambicano Azagaia, consagrado herói nacional pelo povo moçambicano. Leia também o que sobre o agora homenageado escreveu, aqui no Folha 8, em 29 de Dezembro de 2017, o também emblemático activista angolano Sedrick de Carvalho. ê-se na informação que promove o evento: “Consagrado herói nacional pelo povo moçambicano e com repercussão internacional, Edson da Luz deixa um legado e reportório musical…

Leia mais

“Para morreres basta dizeres o que pensas”

O cantor moçambicano Azagaia, na sua última música gravada, intitulada «No sétimo dia», descreve as causas de morte mais frequentes na terra de Samora Machel. A música foi escrita em reacção à morte do presidente da cidade de Nampula, Mahamudo Amurane, morto sete dias antes da gravação. Por Sedrick de Carvalho Amurane, como outros moçambicanos, foi assassinado a tiro no dia 4 de Outubro, precisamente no dia da comemoração do 25.º aniversário do Acordo Geral de Paz do país. Foi baleado defronte a sua residência, ou seja, na rua, como…

Leia mais