ANGOLA. O Sindicato Nacional dos Professores de Angola (Sinprof) anunciou hoje uma nova greve no ensino geral, frequentado por mais de dez milhões de estudantes angolanos, a ter lugar entre 9 e 27 de Abril, podendo repetir-se em Junho.

Em causa está a retoma da greve interpolada iniciada em 2017 e suspensa a 28 de Abril do mesmo ano, tendo hoje sido aprovada, em reunião do Conselho Nacional do sindicato, a continuação da paralisação, que será já o terceiro período em cerca de um ano.

“Como forma de demonstrar a insatisfação dos professores pela não aprovação do Estatuto da Carreira Docente, bem como rejeitar a estratégia do Ministério da Educação, de priorizar o concurso público de admissão de novos professores em detrimento da actualização de categorias dos professores em serviço”, lê-se no comunicado do Sinprof, sobre o novo período de greve.

Este terceiro período de greve foi decidido, segundo o Sinprof, após consultas aos professores “realizadas em assembleias de trabalhadores em todo o país”.

“A mesma terá abrangência em todos os estabelecimentos escolares públicos e escolas comparticipadas do subsistema do ensino não universitário do país, a partir das 7 horas do dia 9 de Abril”, anuncia o sindicato.

Acrescenta que, “caso o executivo não aprove o Estatuto da Carreira Docente” e se “continuar intransigente na resolução dos seus fundamentos, os professores voltarão a paralisar as aulas em Junho de 2018”.

Só na província de Luanda, que concentra cerca de um terço da população nacional, o Sinprof refere contar com 16.534 filiados, num universo de 28.000 professores.

Partilhe este Artigo