ANGOLA. Um desabamento de terras provocou a morte a duas pessoas que procediam ao garimpo de ouro no Chipindo, província Huíla, região onde, há um mês, 13 garimpeiros morreram nas mesmas condições.

O incidente, no qual está também desaparecida uma outra pessoa, ocorreu no fim-de-semana, segundo divulgou hoje fonte do Serviço de Protecção Civil e Bombeiros local.

As vítimas, dois homens de 33 e 37 anos, garimpavam ouro na região de Cassanda, a 23 quilómetros da sede municipal de Chipindo. Segundo o administrador municipal de Chipindo, Hélder Lourenço, a equipa de busca no terreno está a encontrar dificuldades devido à forte chuva que cai sobre a região.

Hélder Lourenço referiu que o município de Chipindo possui ouro e é habitual os jovens procederem ao garimpo, tendo as autoridades dificuldades para controlar a extensa região devido à falta de meios para o efeito.

“Estamos a escavar e a inspeccionar o território todo, numa extensão de mais de um quilómetro quadrado, num terreno muito escorregadio. A actividade de resgate integra equipas de bombeiros, polícia e forças armadas angolanas”, disse o responsável.

Em Março passado, 13 pessoas morreram soterradas numa mina de ouro na localidade de Chicuele, no setor de Sangueve, também no município de Chipindo.

Partilhe este artigo