GUINÉ-BISSAU. O Governo da Guiné-Bissau solicitou hoje a Portugal apoios técnico e financeiro para executar o seu programa nacional de descentralização dos serviços do Estado. Pois. Esta é uma daquelas coisas que se não pode pedir a Angola porque Angola… não tem.

O pedido do Governo guineense foi feito pelo ministro da Administração Territorial, Sola Nquilin, ao embaixador de Portugal na Guiné-Bissau, António Leão Rocha, com quem manteve uma reunião de trabalho.

O programa nacional de descentralização dos serviços do Estado, ainda por aprovar a nível do conselho de ministros, visa, entre outros pontos, a realização das primeiras eleições autárquicas na Guiné-Bissau e ainda a instalação de departamentos públicos nas regiões do interior do país.

Sola Nquilin considerou que Portugal “se não é o principal parceiro” da Guiné-Bissau “é o privilegiado” em termos de cooperação e “por razões óbvias”, disse acreditar que os apoios solicitados irão chegar.

Partilhe este Artigo