O Movimento do Protectorado Lunda-Tchokwe reage ao VII Congresso Ordinário do MPLA apelando ao “Povo Lunda Tchokwe que esqueça para sempre as promessas” do parido de José Eduardo dos Santos que, dizem, transformou “a Lunda-Tchokwe na sua quinta”.

Eis, na íntegra, o comunicado do Movimento do Protectorado Lunda-Tchokwe enviado à redacção do Folha 8:

“No arranque do VII congresso do MPLA que teve lugar dia 17/08/2016, José Eduardo dos Santos no seu discurso de abertura, disse tudo mas nada disse sobre a Nação Lunda Tchokwe, em cujo alguns filhos Lundas a tecerem-lhe elogios bajuladores, ao ponto de lamberem-lhe as botas, satisfeitos com a escravidão, o obscurantismo, o colonialismo e o açambarcamento ilícito da riqueza do nosso povo, deixando-o em extrema pobreza, cujo território chora o massacre de mais de 5000 filhos assassinatos por MPLA em “Kambau e Jaribu” na localidade do Lucapa em 1995, assassinatos continuados de mulheres na localidade do Cuango, entre outros males causados por regime tirânico, ditatorial e colonizador de JES/MLA.

O conclave, que termina a 20 de Agosto, vai eleger José Eduardo dos Santos, único candidato à sua sucessão ao cargo de presidente do MPLA e cabeça de lista as eleições de 2017 em Angola, para mais 5 anos a infernizar o povo Lunda Tchokwe com a sua dependência colonial.

Com mais (8.000.000) oito milhões de habitantes a Nação Lunda Tchokwe – Kuando Kubango, Moxico, Lunda Sul e Norte, de acordo com último censo do governo de Angola em 2014, e, mais 502.686.000 Km2, sendo a segunda economia de peso no orçamento geral, em cujo 90% dos diamantes que o regime tirânico vende no exterior é proveniente deste território, porém, não se conhece empresário nenhum ou accionista de algum Banco.

José Eduardo dos Santos, prometerá no dia 20 de Agosto de 2008, durante a campanha eleitoral daquele ano que a Lunda Tchokwe haveria de mudar e que colocaria os melhores filhos para o seu desenvolvimento, mente pequena de uma Autoridade Tradicional Thumba Kalunga, Muatchikuata Mualuquessa, que traiu o povo a terra e a cultura Tchokwe, para elogiar a moção do ditador colono, e, ainda fala em nome do poder tradicional Lunda Tchokwe da qual não tem se quer influência, talvez falou em nome dos “Comités de especialidade dos Sobas”.

Os últimos 40 anos da independência de Angola, a Nação Lunda Tchokwe, serviu fielmente os desígnios do MPLA e a UNITA. O mesmo aconteceu durante a guerra de guerrilha com 66% de guerrilheiros do MPLA e a UNITA filhos Lundas, que serviram as fileiras da luta de libertação dos angolanos do fascismo português. Depois disso, o MPLA ignora, usando a persuasão da suposta amizade escamoteada mas nos bastidores somos tratados de macacos e matumbos.

José Eduardo dos Santos transformou a Lunda Tchokwe numa quinta pessoal, aproveitando-se do artigo 15º da sua constituição atípica, onde a Policia, SINSE/SINFO, SIC e as FAA, são Cães de guarda e o povo escravo. Assim explica o porque de 95% da Juventude não tem emprego, 70% de jovens entre os 5 á 15 anos não tem acesso a escola, não existe água potável, as mortes sobem assustadoramente por falta de hospitais, médicos e medicamentos. O desenvolvimento de Angola desde 2002 é totalmente diferente com a Nação Lunda Tchokwe, o congresso do MPLA, a Moção anunciada pelo Presidente José Eduardo dos Santos não trará nenhuma novidade para nós.

Alguns filhos Lunda Tchokwe humilham-se muito ao MPLA, o MPLA nunca esteve do lado deles, usa-os quando precisa do voto nas eleições, enquanto ouvimos muitos deles a vaticinar, que a Lunda havia de brilhar mais do que o diamante!… nada avançou, a Lunda continua sem brilho, esta mais preto do que nunca.

Discursando no acto central de abertura do VII congresso ordinário do MPLA, José Eduardo dos Santos não se referiu aos processos Políticos da Lunda Tchokwe, nem se quer disse o que se passa em Cabinda, onde Activistas que reivindicam o direito legítimo da Autonomia estão presos acusados de Rebelião, enquanto o Presidente alega que o seu partido “nunca lutou contra o povo” e que “o MPLA nunca abandonou o povo”, e os 174 cidadãos Lunda Tchokwe que desapareceram misteriosamente em Junho de 2015 no Município do Cuango e na localidade de Cafunfo?.. Onde estão?..

O Movimento do Protectorado, chama atenção a Juventude Lunda Tchokwe, não caírem em discursos demagógicos do Presidente José Eduardo dos Santos, e que continuem o trabalho na Mobilização do nosso povo, sem Autonomia não há voto nas eleições em 2017. Muita vigilância, que a tirania JES/MPLA, tudo vai fazer, vai desencadear violência e repressão brutal e mortes desnecessárias, esta é a logica que segue os colonizadores, por meio disso, os opressores têm a superioridade esmagadora.

A luta para a nossa liberdade, implica necessariamente, um enfrentamento com a brutalidade do poder militar e de policia, implica que, sofreremos com perseguições, cairemos na malha das prisões, seremos sentenciados sem crime nem culpa formal, as punições, ameaças, as prisões, factores estes que jogam um papel importante a favor do regime tirânico, que o ajuda a submeter o povo a que se governa com uma mão de ferro, de intrigas e bufaria constantes, a troco do silêncio e da desgraça da maioria, etc., teremos de ser muito corajosos senão o resultado final será drástico, as acções serão ineficazes e os sacrifícios já consentidos serão em vão.

Povo Lunda Tchokwe, esqueçam para sempre as promessas do VII Congresso do MPLA.”

Partilhe este Artigo