O pai da criança é outro…

A Cedesa, entidade que analisa assuntos políticos e económicos de Angola, considerou que “é possível encarar” a criação de um banco de investimento e fomento da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), atribuindo a paternidade da ideia ao Presidente angolano. Mentira completa. João Lourenço limitou-se a plagiar a ideia. Num documento a que a Lusa teve acesso, a Cedesa propõe que, para isso, que este banco de investimento e fomento, que seria “um instrumento de financiamento do desenvolvimento” dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), deveria pretender concretizar…

Leia mais

É (muito) feio plagiar!

O economista angolano Carlos Rosado de Carvalho “não acredita” na materialização de um banco de investimentos para a CPLP, defendendo “urgência” na melhoria da mobilidade das pessoas, porque as acções económicas na comunidade “funcionam mais na base bilateral”. A ideia do banco, apresentada por João Lourenço, é um plágio porque já fora apresentada, em 2015, pelo então secretário Executivo da CPLP, embaixador Murade Isaac Murargy. “Não me parece que isto [banco de investimentos para a CPLP] tenha muitas pernas para andar, nem a nível bilateral, não sei se conseguimos. Acho…

Leia mais