ANGOLA. O Fundo Global tem disponíveis para o Governo angolano 44 milhões de dólares (35,7 milhões de euros) para financiar acções de controlo da malária, VIH/SIDA e tuberculose, anunciou esta segunda-feira a coordenadora para Angola, Adriana Jimenez.

O anúncio foi feito pela responsável à margem de uma reunião com representantes do Ministério da Saúde de Angola e a comissão do Fundo Global, uma organização financeira internacional apoiada pelas Nações Unidas, com sede em Genebra, Suíça.

Adriana Jimenez, citada pela agência noticiosa angolana, Angop, referiu que este financiamento se destina à aquisição de medicamentos e produtos de saúde, apoio às supervisões, formação de técnicos e actividades de sensibilização junto das comunidades.

O referido financiamento para um período de três anos, salientou a responsável, visa melhorar a saúde da população e reduzir o número de mortes por malária, a principal causa de óbito em Angola, a tuberculose, cuja tendência é de aumento de casos, e VIH/SIDA.

Segundo Adriana Jimenez, o Fundo Global vai continuar a apoiar o Governo angolano, uma vez que “há o compromisso de assegurar as novas inversões do fundo que serão utilizadas para mitigar o impacto negativo da malária, VIH/SIDA e tuberculose”.

Já o secretário de Estado para a Saúde Pública, José da Cunha, considerou “muito importante” o encontro, que avaliou como decorrem as três subvenções financiadas pelo Fundo Global e, em colaboração com o Ministério da Saúde, determinar metas a seguir.

Partilhe este Artigo