ANGOLA. As reservas internacionais angolanas caíram 5,2% entre Janeiro e Setembro, equivalente a quase 1,3 mil milhões de dólares, renovando mínimos, segundo dados do Banco Central de Angola compilados hoje pela Lusa.

De acordo com um relatório mensal do BNA, com dados preliminares, as Reservas Internacionais Líquidas (RIL) angolanas desceram mais 1% entre Agosto e Setembro, fixando-se em 22,9 mil milhões de dólares, renovando mínimos de anos.

Desde Agosto que o banco central aumentou fortemente a injecção de divisas no mercado cambial primário, a um ritmo de cerca de 1.000 milhões de dólares por mês.

As RIL, reservas em moeda estrangeira, são necessárias para garantir nomeadamente as importações nacionais de matéria-prima ou de alimentos e atingiram em Fevereiro passado o valor mais baixo em vários anos, até então, de 23.888 milhões de dólares, mas que desceu em Agosto para 23.221 milhões de dólares.

No final de Dezembro, estas reservas internacionais cifravam-se em 24.266 milhões de dólares.
O governador do BNA, Valter Filipe Silva, garantiu anteriormente que estas reservas estão num nível equivalente a oito meses de importações dos bens e equipamentos, tendo em conta as necessidades atuais, numa altura de forte contenção na disponibilização de divisas aos bancos.

As reservas contabilizadas pelo BNA são constituídas com base em disponibilidades e aplicações sobre não residentes, bem como obrigações de curto prazo.

Lusa

Partilhe este Artigo