MOÇAMBIQUE. Os mediadores das negociações de paz em Moçambique propuseram ao Governo (Frelimo) e à Renamo a presença de observadores internacionais em todos os pontos de conflito para uma suspensão das hostilidades, mas as partes não chegaram a acordo.

“Uma vez acordado na comissão mista, o Governo moçambicano convidará os países vizinhos e amigos que estejam disponíveis a mobilizar e enviar, o mais cedo possível, o pessoal necessário para a missão de verificação internacional”, refere um documento dos mediadores.

A proposta prevê que a suspensão das hostilidades entre em vigor com a chegada dos observadores aos locais onde decorrem acções militares, incluindo em Gorongosa, onde presumivelmente se encontra o líder da Renamo, Afonso Dhlakama.

Partilhe este Artigo