ANGOLA. O “juiz” Januário Domingos José acusa Walter Tondela de faltar respeito ao tribunal. O advogado Walter Tondela, que integra a equipa de defesa dos 17 activistas angolanos condenados pelo Tribunal Provincial de Luanda pelos supostos crimes de rebelião, tentativa de golpe de Estado e associação de malfeitores, responde num processo-crime apresentado pelo juiz do Tribunal Provincial de Luanda, Januário Domingos José, por alegada falta de respeito ao Tribunal.

Entre as testemunhas do processo, estão os 17 activistas que também começaram agora a ser ouvidos.

Arante Kivuvu Lopes foi o primeiro a prestar depoimento à instrutora do processo, Teresa Francisco, do Serviço de Investigação Criminal (SIC).

Kivuvu Lopes disse à VOA que a instrutora queria saber se Walter Tondela, no dia 21 de Março deste ano, na sessão antes da leitura da sentença, faltou respeito ao juiz Januário Domingos José.

“Eu disse que não relembro porque estava preocupado com outras coisas”, respondeu.

Mbanza Hanza, outro activista do grupo dos 17, vai ser ouvido no dia 11, mas, para já, considera que a acusação do juiz Januário Domingos José é uma aberração.

“Acho que se o juiz tivesse respeito por si próprio devia evitar algumas coisas, surpreendi-me quando ouvi que ele vai abrir um processo contra o nosso advogado. É uma aberração”, considerou o activista.

Entretanto, o advogado Walter Tondela, ainda não foi notificado do processo que corre contra ele.

Recorde-se que o “juiz” Januário Domingos José foi duramente criticado pelo Tribunal Supremo, que colocou em liberdade os 17 activistas enquanto aguardam o recurso interposto pela defesa junto daquele órgão.

Fonte VoA

Partilhe este Artigo