ANGOLA. Um ex-bispo da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) afirma que seita mantinha um esquema ilegal para operar milhões de dólares no exterior por pelo menos sete anos. Angola estava incluída.

Alfredo Paulo Filho, 49, afirma ter sido responsável pela Universal em Portugal entre 2002 e 2009 e um dos principais auxiliares do bispo Edir Macedo, fundador da igreja, por mais de dez anos.

Os milhões de dólares, diz, vinham da “Fogueira Santa”, uma campanha da igreja em Angola, e cerca de US$ 5 milhões eram despachados por viagem.

Ao dar detalhes, o ex-bispo relata que participou do esquema e afirma que que os milhões de dólares chegavam à Europa num jacto particular, depois de terem sido levados, de carro, de Angola até à África do Sul.

O dinheiro proveniente de Angola, diz, ficava em sua própria casa em Portugal até ser depositado na conta da igreja, segundo informações da Folha de S. Paulo.

“Era eu que ia pegar o dinheiro. Sabia que era ilegal”, diz. O ex-bispo garante que Edir Macedo sabia de tudo.

Partilhe este Artigo