MOÇAMBIQUE. A Frelimo, partido no poder desde a independência, submeteu hoje ao parlamento moçambicano um requerimento para convocar o Governo para um debate sobre alegada corrupção na venda de aviões da Embraer às Linhas Aéreas de Moçambique (LAM).

O pedido da Frelimo, entregue à Comissão Permanente da Assembleia da República, não mereceu qualquer objecção por parte dos deputados da oposição, Renamo e MDM, cabendo agora à Comissão Permanente a fixação de uma data para o debate.

Documentos da justiça brasileira divulgados nas redes sociais, e depois replicados na imprensa, referem que o antigo presidente das Linhas Aéreas de Moçambique (LAM) José Veigas e um intermediário identificado como Mateus Zimba, na altura gestor da petroquímica sul-africana Sasol, terão exigido subornos no valor de 800 mil dólares (747 mil euros) para viabilizar a venda de dois aviões pela fabricante brasileira Embraer.

Não está mal. A Frelimo que é Governo quer ouvir o Governo. O Governo, que é Frelimo, vai explicar-se à Frelimo. Tudo em família.

Partilhe este Artigo