ANGOLA. O Estados Unidos da América disponibilizaram a Angola 1,4 milhões de testes rápidos para o diagnóstico da malária.

A doação foi feita através da Agência para o Desenvolvimento Internacional (USAID) ao Programa Nacional de Controlo da Malária (PNCM), que tinha pedido em junho ao Ministério da Saúde 500 mil kits.

Os testes vão ser usados nas províncias de Luanda, Cuanza Norte, Malange, Lunda Norte, Lunda Sul, Uíge e Zaire. A par dos testes, a embaixada doou também 500 mil doses do anti-malárico Coartem.

Sendo Angola um país pobre (para o povo), compreende-se que precise de ajuda externa para tudo e mais alguma coisa. Não faltou dinheiro público para o Congresso do MPLA, mas essa é outra faceta de um país que em vez de gerar riqueza apenas conseguiu gerar… ricos.

Partilhe este Artigo