ANGOLA. O número de cheques devolvidos por falta de provisão em bancos angolanos diminuiu para 17 por dia entre Janeiro e Outubro, mas o montante envolvido já ultrapassa o de todo o ano de 2015.

De acordo com dados do Banco Nacional de Angola (BNA) compilados hoje pela Lusa, em dez meses de 2016 o sistema bancário angolano contabilizou 14.394 cheques devolvidos, dos quais 5.208 por falta de provimento, totalizando 19,2 mil milhões de kwanzas (109 milhões de euros) em ‘cheques carecas’.

Estes números comparam com o total de 2015, que segundo o BNA ascendeu a 20.623 cheques devolvidos por vários motivos, 9.603 dos quais por falta de provisão na primeira apresentação ao banco, valendo, em todo o ano, 18 mil milhões de kwanzas (102 milhões de euros, à taxa de câmbio actual).

Até final de Outubro, os bancos angolanos pagaram 372.510 cheques, no valor pouco superior a um bilião de kwanzas (5,7 mil milhões de euros), número que contrasta com os 502.905 dos 12 meses de 2015, no valor de 1,050 biliões de kwanzas (5,9 mil milhões de euros).

Em todo o ano de 2014 foram devolvidos 7.664 cheques sem provisão que chegaram aos bancos, ascendendo a 17,5 mil milhões de kwanzas (99,3 milhões de euros), segundo dados do BNA.

Em termos financeiros, o pico mais recente dos ‘cheques careca’ em Angola atingiu-se em 2013, ano em que 8.139 foram devolvidos pelos bancos por falta de cobertura, totalizando 46,8 mil milhões de kwanzas (265,7 milhões de euros).

Lusa

Partilhe este Artigo