ANGOLA. De acordo com o jornal português Diário de Notícias, as declarações de bajulação do deputado Hélder Amaral no congresso do MPLA caíram mal na direcção do CDS.

Pelos vistos, a Direcção do CDS “não subscreve qualquer entendimento das palavras de Hélder Amaral que presuma uma alteração da posição do partido relativamente à democracia e ao pluripartidarismo em Angola”, sublinhou ao DN o vice-presidente e estratega político de Assunção Cristas, Adolfo Mesquita Nunes.

Para expiar a culpa, este dirigente acrescenta que “tanto assim é que o CDS vai estar presente no congresso do CASA-CE, um partido da oposição em Angola, marcando assim uma posição inequívoca sobre esta matéria”.

Conta o jornal que a Direcção do CDS hesitou muito antes de aceitar fazer-se representar no congresso do MPLA. Acabou por aceder apenas – diz o DN – porque quer o PSD quer o PS iriam enviar delegados e depois de receber e aceitar o convite do principal partido da oposição em Angola, a UNITA, em cujo congresso o CDS também estará representado.

Partilhe este Artigo