ZIMBABUÉ. O presidente do Zimbabué, Robert Mugabe, apelou nas Nações Unidas para o levantamento das sanções económicas aplicadas ao seu país pelo Reino Unido, EUA e outros países ocidentais, considerando que são “ilegais” e “injustificadas”.

“O Zimbabué é vítima de sanções rancorosas impostas pelos EUA e outros países ocidentais desde há 16 anos. Como país, estamos a ser castigados colectivamente por exercer o principal princípio consagrado na Carta das Nações Unidas, o da independência soberana. Estamos a ser punidos por fazer o que as outras nações fazem, que é responder e cuidar dos interesses básicos do nosso povo”, disse Robert Mugabe na 71ª Assembleia Geral das Nações Unidas.

O presidente do Zimbabué, no poder desde 1980 (quando a antiga Rodésia se tornou independente e adoptou o nome Zimbabué), explicou perante os outros chefes de Estado e de Governo que as sanções que são aplicadas desde 2000 impedem o país de dar os passos necessários para cumprir a agenda 2030 das Nações Unidas.

Partilhe este Artigo