ANGOLA. A malária matou 1.887 pessoas este ano na província angolana de Benguela, de um total de 255.341 casos registados naquela região do litoral sul de Angola, anunciaram as autoridades sanitárias locais.

Segundo o chefe do programa provincial de combate à malária, Manuel Cassiano, a província tem estado a realizar tratamento intermitente preventivo nas mulheres grávidas, pulverização no interior das casas e nas comunidades de toda a província, bem como o programa de luta anti vectorial, para o qual conta com o apoio da cooperação cubana.

Manuel Cassiano, citado pela agência noticiosa angolana, Angop, frisou que a província executa um plano de contingência sobre a disseminação da malária e febre-amarela e de consolidação de um sistema de vigilância epidemiológica.

Benguela está a acolher, até sábado, o II fórum nacional de parceiros no combate à malária em Angola, em que participam 80 supervisores das províncias da Huíla, Huambo, Bié, Namibe, Cunene, Malange, Lunda Norte, Uíge, Cabinda e Zaire.

Partilhe este Artigo