EM ÁFRICA OS POBRES NÃO SÃO GENTE

O Banco Mundial disse hoje que em 2022 houve mais 21 milhões de pessoas na África subsaariana em insegurança alimentar aguda, ultrapassando os 140 milhões, avisando que a situação pode piorar se a dívida pública não for controlada. Ou seja, se como em Angola, os governos não existirem para servir os povos mas, apenas e só, para deles se servirem. a parte do relatório sobre a região onde estão seis dos nove países lusófonos, o Banco Mundial diz que “quase 60% das pessoas em pobreza extrema, que gastam uma parte…

Leia mais