As receitas do turismo nacional registaram um acréscimo acentuado em 2013, atingindo um volume de negócios no montante de 119,1 mil milhões de Kwanzas (AKZ), correspondendo à USD 1,191 milhões.

Nesse ano, o volume de negócios evidenciou uma evolução positiva de AKZ 39, 697 milhões, ou seja USD 397 milhões em comparação com o ano de 2012.

Segundo o Boletim do Mercado Hoteleiro e Turístico do país, referente a 2014, considerando a repartição por tipo de unidades, o seguimento de restauração e similares com 39,9 porcento destacou-se em primeiro lugar, seguindo os hotéis, com 21,9 porcento.

O documento indica que o crescimento das receitas no biénio 2012 a 2013 atingiram a cifra de AKZ 189,5 mil milhões, ou seja USD 2,027 milhões, correspondendo a um acréscimo de 50,0% em relação ao biénio anterior.

Por tipo de unidades, os restaurantes e similares, pensões e outras unidades de alojamento evidenciaram maiores proporções ao atingirem 79,7 e 69, 4 porcento, refere.

À semelhança dos períodos anteriores, no mesmo ano, o valor obtido com a entrada de turistas no território nacional foi superior em relação ao valor das saídas, o que em termos líquidos na perspectiva da Balança de Pagamentos representa uma entrada de divisas para o país.

Do total de turistas que se deslocaram para Angola, a população masculina, com 67%, apresentou maior proporção em relação à feminina que atingiu 33%, diz o boletim estatístico.

Considerando os principais motivos das deslocações, as viagens por motivos de negócios representaram 40,6%, sendo este o motivo principal apurado. O segundo motivo mais frequente foi em serviço com 39,1%.

Conforme o documento, o sector turístico tem mostrado uma notável capacidade de se adaptar às novas condições de mercado, alimentando o crescimento e a criação de emprego em todo o mundo, apesar dos persistentes desafios económicos e geopolíticos.

No mesmo período, o país também registou um aumento no número de chegadas de turistas às fronteiras nacionais. Entraram no país 1.088 milhões de turistas estrangeiros em 2013, traduzindo-se num crescimento de 5%, de acordo com o boletim.

Partilhe este Artigo