A nova fábrica de Isabel dos Santos (sim, é a filha de Eduardo dos Santos, PCA da Sonangol e também dona de tudo quanto dá dinheiro em Angola) traz a Sagres para Angola e vai produzir a Luandina.

A nova fábrica da princesa herdeira do trono vai produzir a partir de 2017, em Luanda, a cerveja Sagres e uma nova marca angolana também de cerveja. A Sociedade de Distribuição de Bebidas de Angola (SODIBA) é a mais nova empresa de produção e distribuição de bebidas em Angola foi apresentada em conferência de imprensa, num projecto cujo investimento, maioritariamente angolano, ascende a 150 milhões de dólares.

Localizado no Polo Industrial do Bom Jesus, a 60 quilómetros de Luanda, este complexo industrial conta com uma área total de 40 hectares e uma capacidade de produção instalada de 144 milhões de litros/ano de cerveja, extensível até 200 milhões de litros, sendo que a partir de Janeiro de 2017 arranca com a produção e distribuição da cerveja portuguesa Sagres.

O director executivo da sociedade, José Carlos Beato, explicou que “a capacidade e qualidade produtiva” angolana pode levar o país a posicionar-se entre os grandes produtores mundiais.

“Nós vamos ser uma empresa de produção e distribuição de bebidas que no fundo espera corresponder as exigências do consumidor angolano. Consideramos que ainda há um espaço por preencher naquilo que é o consumo da cerveja em Angola. É um projecto que tem uma base industrial e que pela capacidade e qualidade produtiva de Angola, tem um potencial para se posicionar junto dos grandes produtores mundiais”, explicou José Carlos Beato sem referir o potencial de consumo que, num universo de quase 26 milhões de potenciais consumidores, 20 milhões são pobres… mas bebem.

A fábrica está praticamente concluída e conta numa primeira fase com 210 colaboradores, decorrendo actualmente testes de operação. Envolve duas linhas de enchimento, uma com capacidade para 50.000 garrafas por hora e outra linha para o enchimento de latas com a mesma capacidade.

Apesar de numa primeira fase ter como foco a produção e distribuição de cerveja, é pretensão igualmente da SODIBA cumprir a estratégia multimarca e abraçar segmentos como as águas engarrafadas, refrigerantes, polpas e concentrados, bem como bebidas espirituosas, entre outras.

“Esta é a meta e naturalmente devemos evoluir ainda durante o próximo ano para o outro segmento de bebidas”, afirmou José Carlos Beato.

Trata-se de um investimento promovido por Isabel dos Santos, empresária, herdeira do trono, multimilionária, filha do chefe de Estado angolano (há 37 anos no poder sem nunca ter sido nominalmente eleito), juntamente com Sindika Dokolo, o seu marido.

“É uma empresa angolana que reúne experiências multidisciplinares e internacionais, cujo projecto é baseado na formação de quadros”, enfatizou o responsável.

Igualmente durante o primeiro semestre de 2017 a fábrica deverá colocar no mercado uma nova cerveja “100% angolana”. “A cerveja Luandina será nossa primeira produção nacional. Vamos começar com a internacional Sagres e de seguida uma cerveja com um ADN 100% angolano, que é a Luandina e estou em crer que a mesma estará ao nível do exigente consumidor angolano”, defendeu José Carlos Beato.

Estranha-se a escolha do nome Luandina porque, fazendo jus à honorabilidade da patrona da fábrica, seria mais do que justo chamar-se Isabelinha (ou algo parecido).

Seja como for, registe-se (com agrado) o esforço de Isabel dos Santos para alavancar a economia do reino que tão bem é gerido por sua majestade o rei seu pai, José Eduardo dos Santos, bem como para manter Angola no patamar superior dos países mais corruptos do mundo e, igualmente, ser o país com o maior índice de mortalidade infantil do mundo.

Partilhe este Artigo