A doutora Francisca, governadora provincial em Angola, foi a uma escola conversar com as criancinhas, acompanhada de uma comitiva de alto nível patriótico. Depois de apresentar todas as maravilhosas propostas que o seu governo (MPLA) tem para os angolanos, disse às criancinhas que iria responder a perguntas.

Uma das crianças levantou a mão e a doutora Francisca perguntou:

– Qual é o teu nome, meu filho?

– Paulinho.

– E qual é a tua pergunta?

– Eu tenho três perguntas. A primeira é “Onde estão os milhões de empregos e casas prometidos na campanha eleitoral pelo MPLA?”

– A segunda é “Pode o Presidente escolher os filhos para dirigir as principais empresas do país?”

– E a terceira é “Que democracia é a nossa em que o Presidente está no poder há 37 anos sem nunca ter sido nominalmente eleito?”

A doutora Francisca fica desnorteada, mas nesse momento a campainha para o recreio toca e ela aproveita e diz que continuará a responder depois do recreio.

Após o recreio, a doutora Francisca diz:

– OK, onde estávamos? Acho que eu ia responder perguntas. Quem tem perguntas?

Um outro garotinho levanta a mão e a doutora Francisca aponta para ele.

– Podes perguntar, meu filho. Como é teu nome?

– Joãozinho, e tenho cinco perguntas:

– A primeira é “Onde estão os milhões de empregos e casas prometidos na campanha eleitoral pelo MPLA?”

– A segunda é “Pode o Presidente escolher os filhos para dirigir as principais empresas do país?”

– A terceira é “Que democracia é a nossa em que o Presidente está no poder há 37 anos sem nunca ter sido nominalmente eleito?”

– A quarta é “porque é que a campainha do recreio tocou meia hora mais cedo?”.

– A quinta é “Cadê o Paulinho??”

Partilhe este Artigo