A exportação de petróleo rendeu a Angola, em 2014, mais de 23,6 mil milhões de euros, uma quebra de 4,2 mil milhões face a 2013, devido à descida da cotação internacional do barril de crude.

A informação resulta de dados disponibilizados pelo Ministério das Finanças angolano referentes às receitas ordinárias do sector petrolífero entre Janeiro e Dezembro, tendo em conta a taxa de câmbio actual.

Nos 12 meses de 2014, Angola exportou 599,1 milhões de barris de petróleo, número que contrasta com os 629,2 milhões do ano anterior, que então representou mais de 3,353 biliões de kwanzas (27,9 mil milhões de euros) em receitas fiscais.

Em contrapartida, no mesmo período de 2014, Angola arrecadou 2,842 biliões de kwanzas (23,6 mil milhões de euros) com a venda de petróleo ao exterior.

Além da quebra da produção, essencialmente no primeiro semestre, a diminuição das receitas é justificada igualmente com a redução do preço internacional do barril de crude.

Em Setembro de 2013 o petróleo exportado chegou a ultrapassar os 110 dólares por barril, cotação que tem vindo a descer consecutivamente desde o último Verão, cifrando-se hoje à volta dos 50 dólares.

Esta evolução no mercado internacional levou o executivo angolano a rever algumas metas para 2015, através do próximo Orçamento Geral do Estado (OGE), que prevê um défice orçamental de 7,6% do Produto Interno Bruto (PIB), apesar de um crescimento da economia nacional de 9,7%.

O documento, no entanto, já está desactualizado, porque perspectiva uma cotação de 81 dólares por barril, e será agora revisto pelo Governo.

Este valor serve de base ao cálculo das receitas fiscais petrolíferas, que em 2015 deveriam render ao Estado 2,551 biliões de kwanzas (21,2 mil milhões de euros), tendo em conta a primeira projecção do executivo.

Partilhe este Artigo