No âmbito do Projecto Sectorial de Promoção de Exportações dos Produtos Lácteos Brasileiros – B Dairy, estabelecido pela Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) e a Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), uma delegação desloca-se a Luanda para diversas reuniões com empresas angolanas com o objectivo de estabelecer oportunidades comerciais.

Estão também previstos encontros com entidades governamentais e associações profissionais, bem como uma visita a uma unidade fabril angolana, refere um comunicado dos promotores desta missão empresarial.

A chegada da delegação está prevista para 6 de Outubro, estando previstas reuniões entre as empresas brasileiras e angolanas, com o objectivo de explorar potenciais oportunidades de negócio. Os encontros realizam-se no Hotel Epic Sana, Sala Moçambique.

Mococa, Tirolez e Itambé são as empresas que compõem a comitiva, além do responsável pelo projecto B Dairy. Entres os produtos comercializados encontram-se iogurtes, queijos, requeijões, manteigas, leite, bebidas e outros compostos lácteos.

“Estamos com grandes expectativas relativamente a esta visita a Angola. Temos vindo a acompanhar o crescimento deste sector e gostaríamos também de contribuir com os nossos produtos para o seu desenvolvimento, elevando a diversidade e qualidade oferecida aos consumidores angolanos,” afirmou Bernhard J. Smid, responsável pela Promoção e Prospecção Comercial Internacional do projecto B Dairy, e que lidera a comitiva.

“Levamos todo um conhecimento e experiência na produção de produtos lácteos de alta qualidade, e que queremos apresentar ao mercado angolano”, acrescenta.

O projecto B Dairy, actualmente constituído por 10 empresas, foi criado para ampliar as exportações brasileiras de leite e derivados. O Brasil é o quarto maior produtor mundial de leite, com 32 mil milhões de litros por ano. Desse total, aproximadamente cinco por cento são exportados. Para as empresas participantes do B Dairy, Angola é um país prioritário, juntamente com outros sete mercados-alvo. A expectativa é de ampliar o comércio de leite condensado, leite em pó, queijos e manteiga.

Partilhe este Artigo