A presidência da Costa do Marfim confirmou hoje que o Presidente demissionário do Burkina Faso, Blaise Compaoré, está exilado no país desde que apresentou a sua demissão ao cargo, na sequência dos protestos que exigiam a sua saída.

O”Presidente da República informa o povo costa marfinense, os residentes da Costa do Marfim e a comunidade internacional que o presidente Blaise Compaoré, a sua família e parentes próximos, foram acolhidos pela Costa do Marfim”, refere a presidência em comunicado.
Falando em nome do Presidente costa-marfinense, Alassane Ouattara, o seu chefe de gabinete, que emitiu o comunicado, manifestou-se “muito preocupado pela crise que o Burkina Faso atravessa”.

“O Presidente da República espera que este país irmão regresse, o mais rapidamente possível, à paz e à estabilidade”, acrescenta a nota.

Compaoré apresentou a sua demissão ao cargo de Presidente depois de três dias de protestos massivos e violentos nas ruas do país exigindo a sua saída após 27 anos no poder, onde chegou depois de ter protagonizado um golpe de Estado.

Entretanto, o líder do regime de transição no Burkina Faso, o tenente-coronel Isaac Zida, anunciou, em comunicado, a reabertura das fronteiras aéreas do país, encerradas desde sexta-feira. Já as fronteiras terrestres permanecem fechadas.

Partilhe este Artigo