CABO VERDE. O Presidente da República interino de Cabo Verde, Jorge Santos, apelou hoje para que a campanha para as autárquicas seja “alegre, cívica e tolerante” e pediu uma “forte participação” no dia das eleições, marcadas para 4 de Setembro.

Isto significa duas coisas. Por um lado que no país, ao contrário de Angola, há eleições autárquicas. Por outro que, ao contrário de Angola, Jorge Carlos Fonseca teve de suspender o mandato de Presidente (nominalmente eleito) assim que anunciou a recandidatura ao cargo, nas eleições de 2 de Outubro.

Jorge Santos lembrou ainda que estas são as sétimas eleições municipais em Cabo Verde, desde a instalação do regime democrático em 1991 e que desde então os cabo-verdianos têm participado de forma activa nas eleições dos representantes locais, propostos pelos partidos políticos ou grupos de cidadãos.

“As eleições têm sido marcadas por um elevado civismo, tolerância e participação das populações”, avaliou, considerando que, 25 anos após as primeiras eleições autárquicas democráticas, o poder local constitui um dos pilares fundamentais da afirmação e consolidação do Estado de Direito Democrático e da “Boa Governança” em Cabo Verde.

Partilhe este Artigo