O Regedor do município de Benguela, Pedro Katchipoke, convidado pelo Grupo Parlamentar da UNITA para dissertar o tema sobre “Os valores tradicionais perante os desafios da sociedade” foi impedido esta tarde, pela administração Municipal de Benguela, de continuar a assistir as V Jornadas Parlamentares da UNITA, que decorrem nesta cidade.

O Regedor, que assistiu a sessão de abertura, onde foi apresentado como um dos convidados de honra das V Jornadas Parlamentares da UNITA, foi chamado logo a seguir pelos responsáveis da Administração municipal de Benguela, que lhe ofereceram, tal como a outras cinco autoridades tradicionais, um lanche onde foram informados que não deviam ontinuar a assistir o evento e que deviam regressar às suas casas.

Com eles, foram igualmente mandados de volta, outros 60 membros da autoridade tradicional em Benguela, que aguardavam pela viatura da Organização das Jornadas a fim de se dirigirem ao local do evento.

O tema do Regedor Pedro Katchipoke estava previsto para a sessão da tarde, logo depois da dissertação de Vicente Pinto de Andrade sobre “Angola e os actuais desafios no campo ecocnómico-financeiro”.

Esta atitude deixou boquiabertos os participantes, que, numa altura em que aguardavam pelo prelector do segundo tema da tarde, foram informados pelo Deputado anfitrião, Alberto Ngalanela, sobre o sucedido.

As V Jornadas Parlamentares da UNITA que decorrem até ao dia 11 de Março, sob o Lema “Transparência Eleitoral, Agora e Já”, para além do discurso de abertura do deputado Raúl Danda, tiveram neste primeiro dia, dois temas, sendo o primeiro sobre “Sistema de Informação e Gestão dos Processos Eleitorais”, dissertado pela deputada Mihaela Webba Kopumi e “Angola e os actuais desafios no campo económico-financeiro”.

Terça-feira os deputados visitam os municípios do interior de Benguela e projectos de investimentos públicos, para constatar “in loco e in situ” o modo de vida das populações e o grau de execução dos programas do Executivo.

O dia 11 terá ainda dois temas, antes da sessão de encerramento, sendo o primeiro sobre “O Papel da sociedade civil na construção de sociedades democráticas”, a cargo do coordenador da OMUNGA, José Patrocínio, e “ A importância da Transparência nos processos eleitorais em África, como garante da Estabilidade”, a ser dissertado pela deputada de Cabo-verde, Janine Lelis.

Partilhe este Artigo