A República de Angola registou, em 2014, a visita de 13 Chefes de Estados, sete primeiros-ministros e cinco vice-presidentes de diferentes países e continentes. O beija-mão e o culto, mesmo que hipócrita, ao “querido líder”, continua na ordem do dia.

D o número total, segundo as contas laudatórias da Angop, realce para 12 presidentes africanos, um sul-americano, além de oito primeiros-ministros e vice-presidentes africanos, um europeu e outro asiático. A estreia foi do Presidente da República do Ruanda, Paul Kagamé, que chegou ao país a 14 de Janeiro, para participar na V Cimeira de Estado e de Governos da Região dos Grandes Lagos. Uhuru Kenyatta, Chefe de Estado do Quénia, foi o segundo a desembarcar em Luanda no mesmo dia e com o mesmo objectivo do primeiro.

Ainda em Janeiro registou-se o maior fluxo de visitas, devido à V Cimeira de Chefes de Estado e de Governos da Região dos Grandes Lagos (CIRGL), realizada entre 10 e 15, em Luanda. Com o mesmo objectivo, assinala-se a chegada no dia 14 dos presidentes da África do Sul, Jacob Zuma, e da República do Uganda, Yoweri Kaguta Museveni. No mesmo dia, desembarcaram os segundos vice-presidentes do Burundi, Gervais Rufyikiri, e do Sudão, Hasabu Mohammed Abdel-Rahman. No dia seguinte foi a vez do presidente da RD Congo, Joseph Kabila.

Em Fevereiro (dia 18), destaque para o primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe, Gabriel Costa, no âmbito do reforço da cooperação, enquanto em Março (dia 4) se deslocava a Luanda a presidente interina da República Centro-Africana, Catherine Samba-Panza, no âmbito do relançamento das relações entre os dois países.

No decorrer de Março (dia 24), Kagamé e Kabila regressaram à capital angolana para participar na minicimeira da CIRGL, período em que esteve também no país o presidente do Congo, Dennis Sassou Nguesso, enquanto no dia seguinte era a vez de Yoweri Musseveni (Uganda).

Em Abril (dia 14), registou-se a visita do chefe de Estado da República do Chad, Idriss Déby Itno, e em dois dias abordou com seu homólogo angolano, José Eduardo dos Santos, o relançamento das relações bilaterais de cooperação, numa jornada que incluiu, no dia seguinte, a recepção do vice-presidente das Ilhas Comores, Fouad Mohadji, para participar, em Luanda, de 16 a 17 de Abril, no encontro dos ministros da Saúde de África.

Para Maio (dia 8), as atenções estiveram viradas para a chegada do primeiro-ministro da China, Li Kegiang, para visita oficial de dois dias, no quadro do reforço da cooperação com Angola.

No âmbito do reforço das relações de cooperação com Angola, o presidente da República Unida da Tanzânia, Jakaya Kikwete, chegou a Luanda também em Maio (dia 10) e nove dias depois foi a vez do vice-presidente do Conselho de Ministros da República de Cuba, Ricardo Cabrisas Ruiz, que cumpriu uma visita de trabalho de algumas horas, visando o reforço da cooperação bilateral e político-diplomática entre os dois estados.

Ainda em Maio (dia 20), esteve em Angola o primeiro-ministro da República Centro-Africana (RCA), André Nzapayeké, para uma visita de 24 horas, antes do desembarque a 23 do mesmo mês do vice-presidente do Brasil, Michel Temer, em trânsito para África dos Sul, onde se deslocou para a cerimónia de tomada de posse do chefe de Estado sul-africano, Jacob Zuma.

Em Junho, dia 04, o primeiro-ministro de Cabo Verde, José Maria Neves, chegou à capital angolana para visita oficial de dois dias, para reforço das relações bilaterais de cooperação entre os dois estados de língua oficial portuguesa. Depois de dois dias, 6 de Junho, pela segunda vez o presidente da República do Congo, Denis Sassou Nguesso, participou na minicimeira tripartida entre Angola, Congo e Chad, numa iniciativa de José Eduardo dos Santos.

Já na ponta final de Junho (dia 29), o primeiro-ministro de Moçambique, Alberto Vaquina, desembarcou em Luanda para representar o presidente Armado Quebuza, na Cimeira Constitutiva do Fórum dos 5 Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (FORPALOP). Em Julho (dia 1), chegaram os presidentes de São Tomé e Príncipe, Manuel Pinto da Costa, e da Guiné-Bissau, José Mário Vaz. Depois o país recebeu o vice-primeiro-ministro da RD Congo, Alexandre Luba Ntambo, para participar na FORPALOP.

A 14 de Julho chegou ao país o primeiro-ministro da RCA, André Nzapayéké, para abordar o relançamento das relações bilaterais e dia 20 escalava Luanda o presidente de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, a caminho de Timor-Leste, para participar na 10ª Conferência de Chefes de Estado e de Governo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), realizada a 23 de Julho.

No mesmo dia, 20 de Julho, desembarcou o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, para uma visita de trabalho de 48 horas, com o objectivo de aprofundar e relançar as relações bilaterais entre os dois estados. Cinco dias mais tarde, Jorge Carlos Fonseca escalou pela segunda vez Luanda de regresso ao seu país, proveniente de Díli (Timor-Leste).

Agosto (dia 11) chegou a presidente do Chile, Michelle Bachallet, para uma visita de 24 horas a Angola, destinada ao reforço das relações de amizade e cooperação, enquanto em 13 do mesmo mês se assinalava a vez de Jacob Zuma, convidado, da 2ª Minicimeira da CIRGL, de 14 de Agosto, momento em que se registou igualmente o regresso de Kabila e pouco depois de Paul Kagamé (17 de Dezembro).

Partilhe este Artigo