A Televisão Pública de São Tomé e Príncipe (TVS) não tem meios técnicos e financeiros para fazer a cobertura da campanha eleitoral das eleições do próximo dia 12, disse hoje à Lusa o director-geral da estação, Juvenal Rodrigues.

Segundo o responsável, “devido aos condicionalismos internos, que são a falta de equipamento e de meios financeiros”, a TVS “não tem possibilidade de fazer a cobertura da campanha de forma isenta e independente”, tal como está previsto na lei.

Perante a impossibilidade de ter meios técnicos disponíveis para acompanhar as acções de campanha das 12 formações políticas que concorrem às eleições legislativas, autárquicas e regional, “a TVS está a realizar debates no estúdio, reservando a cada partido 10 minutos no decorrer do Telejornal”, explicou o director.

“A nossa preocupação é não deixar que as forças não tenham espaço para se exprimir”, acrescentou Juvenal Rodrigues, referindo que “é a primeira que há este ciclo de debates, nunca se fez”.

O director da televisão pública são-tomense referiu ainda que a TVS está a organizar para dia 09 um debate com “todos os candidatos declarados a primeiro-ministro”.

Partilhe este Artigo