O ginecologista congolês Denis Mukwege, que trabalha com vítimas de violação, venceu o prémio Sakharov de direitos humanos que é atribuído pelo Parlamento Europeu.

Omédico especializado no tratamento de vítimas de violações na República Democrática do Congo foi o escolhido pelo Parlamento Europeu e por Martin Shulz, para receber a distinção.

Denis Mukwege, que foi já várias vezes nomeado para o Nobel da Paz, fundou um hospital para cuidar das mulheres vítimas de violação. Em Outubro de 2012, foi alvo de uma tentativa de homicídio.

Na corrida ao prémio estava o movimento de contestação Euromaidan, que promoveu as manifestações na praça vermelha em Kiev em 2013 e a activista Leyla Yunus, que defende os direitos das minorias étnicas no Azerbaijão.

Em 2013, o Prémio Sakharov para a Liberdade de Pensamento foi atribuído à jovem paquistanesa Malala Yousafzai, que foi baleada por radicais por defender o direito das raparigas à educação.

A cerimónia da entrega do prémio está marcada para o dia 26 de Novembro durante a sessão plenária do Parlamento Europeu.

Partilhe este Artigo