Os brasileiros vão às urnas no domingo para escolher um novo presidente, na sétima eleição directa para o cargo desde o fim da ditadura militar no país (1964-1985), com duas mulheres à frente na preferência do eleitorado.

Os principais candidatos ao cargo são Dilma Rousseff (do Partido dos Trabalhadores/PT), Marina Silva (Partido Socialista Brasileiro/PSB) e Aécio Neves (Partido da Social Democracia Brasileira/PSDB).

Marina Silva era candidata à vice-presidência no PSB, mas o candidato presidencial Eduardo Campos morreu num acidente de avião a 13 de Agosto – no qual perderam a vida sete pessoas, em Santos, no litoral de São Paulo – o que levou a ex-senadora a concorrer à Presidência do país.

A candidata Marina Silva foi membro do PT durante muitos anos – tendo sido inclusivamente ministra do Ambiente durante o governo de Lula da Silva –, saiu em 2009, passou pelo Partido Verde (PV) e como não conseguiu registar o seu novo partido — o Rede Sustentabilidade -, filiou-se no PSB.

Já Dilma Rousseff quer ser reeleita, mas está a enfrentar a contestação de uma parte da população brasileira, sobretudo devido aos casos de corrupção no governo e os péssimos resultados económicos do país nos últimos anos, além dos graves problemas na saúde, educação e segurança, que resultaram em grandes manifestações em 2013 e este ano.

Aécio Neves é o preferido da ala mais conservadora do país, sobretudo do sector industrial, e conta com o apoio do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, também do PSDB, e ainda se apoia no nome/legado do avô, o já falecido ex-presidente Tancredo Neves.

Dilma Rousseff lidera as intenções de voto (40%), seguida por Marina Silva (24%) e Aécio Neves (19%), de acordo com a pesquisa do instituto IBOPE, divulgada na quinta-feira.

Uma eventual segunda volta entre Dilma Rousseff e Marina Silva, o IBOPE indicou que a presidente brasileira ganharia com 43% dos votos, enquanto Marina Silva obteria 36% dos votos.

Nestas eleições, estão a concorrer 11 candidatos à Presidência do Brasil.

No sufrágio, também serão escolhidos os governadores, deputados estaduais e distritais (no caso de Brasília), senadores e deputados federais, havendo mais de 22 mil candidatos.

Se houver a necessidade de uma segunda volta – no caso nenhum candidato obter mais de 50% dos votos válidos -, esta irá decorrer a 26 de Outubro (para os cargos de presidente, vice-presidente e governadores).

De acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Brasil possui 32 partidos registados no órgão e um total 142.822.046 eleitores, dos quais 354.184 votantes no exterior.

No Brasil, o voto é obrigatório para pessoas entre 18 e 70 anos, e facultativo tanto para os maiores de 70 como para os jovens de 16 e 17 anos.

Os maiores colégios eleitorais do país são representados em São Paulo, com mais de 31 milhões de eleitores, Minas Gerais, mais de 15 milhões, Rio de Janeiro, mais de 12 milhões, e Baía, mais de 10 milhões.

Os brasileiros que vivem no estrangeiro só votam para o cargo de Presidente.

Partilhe este Artigo