O MDM, terceiro maior partido moçambicano, acusou hoje simpatizantes da Frelimo, partido no poder, de terem colocado em risco a vida do líder do movimento, Daviz Simango, durante escaramuças entre membros das duas forças, na província de Gaza.

Num comunicado lido à imprensa, sem direito a perguntas, o chefe do gabinete eleitoral do MDM (Movimento Democrático de Moçambique) em Maputo, Venâncio Mondlane, acusou a Frelimo (Frente de Libertação de Moçambique), de seguir uma estratégia de violência e ter colocado em risco a vida de Daviz Simango, durante uma acção de campanha em Gaza, sul do país.

“O ataque à caravana do engenheiro Daviz Simango foi brutal e com inquestionável intenção de colocar em risco a vida do candidato presidencial e dos acompanhantes, sendo que o pior não aconteceu pela pronta e rápida intervenção da segurança pessoal do candidato do MDM, conforme ilustram os registos audiovisuais captados pela imprensa que se encontra no local”, disse Mondlane, referindo-se a cenas de violência ocorridas no distrito de Bilene, em Gaza.

Partilhe este Artigo