O conhecimento real da estrutura geográfica da população, em termos de números, localização e estilo de vida é fundamental para o alinhamento e definição correcta das políticas públicas e privadas que visam contribuir para melhoria do bem-estar da população.

Quem o disse foi o vice-governador para o sector Económico da província do Huambo, Joaquim Rodrigues da Conceição, durante a divulgação dos resultados preliminares do Recenseamento Geral da População e da Habitação, decorrido em Maio deste ano.

“Com os dados do Censo o país acaba de dar mais um passo gigantesco no que respeita à melhoria da qualidade de vida das famílias”, frisou.

Na sua óptica, com o conhecimento real da população os recursos serão melhor alocados e as políticas de desenvolvimento económico-social das comunidades mais bem direccionadas.

O vice-governador do Huambo referiu que muitos dos dados estatísticos baseados em estimativas considerados antes da realização do Censo, afiguravam-se bastante optimistas e em outros casos pessimistas, tal como é o número total de Angola, cuja estimativa rondava muito abaixo dos dados preliminares (17 milhões antes do Censo para 24 milhões de habitantes, actualmente).

Para província do Huambo, Joaquim Rodrigues da Conceição disse não haver dúvidas de que os municípios do Huambo, Bailundo e Caála sejam os mais populosos da região, ao contrário de Chinjenje e Ucuma, que apresentam, segundo os resultados preliminares, números bastante inferiores.

A província do Huambo, situada na zona centro-sul, com uma extensão territorial de 34.270 quilómetros quadrados, possui uma população, de acordo com os dados preliminares do Censo 2014, em 1.894,147 habitantes distribuídos nos municípios do Huambo (capital), Caála, Bailundo, Chicala-Cholohanga, Cachiungo, Mungo, Ecunha, Longonjo, Chinjenje, Londuimbali e Ucuma.

Partilhe este Artigo