A Agência Angola Press (Angop), empresa pública dotada de personalidade jurídica e de autonomia administrativa, financeira e patrimonial, que não editorial, comemora quinta-feira, 30 de Outubro, o 39º aniversário do lançamento do seu primeiro despacho telegráfico. Em 2 Fevereiro de 1978 foi transformada em órgão do regime (Estado) através de um decreto presidencial.

S endo a única agência de notícias do país tem como objectivo recolher, tratar e distribuir, em regime exclusivo, tanto em Angola, como no exterior, notícias com base numa informação objectiva sobre a actualidade nacional e internacional.

Tem como actividade principal fornecer por ligação electrónica, Internet ou e-mail, directamente ou por outras vias previamente acordadas, notícias aos órgãos de informação nacionais e estrangeiros.

Criada em Julho de 1975, com a denominação de Agência Nacional Angola Press (ANAP), os trabalhos eram distribuídos sob a forma de Boletim até que, no dia 30 de Outubro do mesmo ano, lançou o seu primeiro despacho telegráfico, em que a sigla “ANAP” deu lugar a sigla ANGOP, no âmbito da efectivação da sua vocação de agência de notícias.

A 2 Fevereiro de 1978 foi transformada em órgão Estatal, através de um decreto presidencial.

Durante 38 anos, a Angop registou avanços significativos que lhe permitiram ganhar prestígio internacional, possibilitando a empresa presidir, na década de 80 o “Pool” das agências de notícias dos países não-alinhados durante três anos e, em 2000, a aliança das agências da CPLP.

Este prestígio permitiu à agência ganhar vários prémios nacionais e internacionais, agraciados por personalidades credíveis que diariamente analisam o trabalho desenvolvido pela Angop em vários domínios.

Em 2009, a empresa recebeu o Prémio Maboque de Jornalismo, na categoria de Órgão Conceituado do Ano, pela excelência do seu trabalho jornalístico.

Ainda no mesmo ano foi agraciada com o troféu “Leão de Ouro”, pela cobertura jornalística da 26ª edição da Feira Internacional de Luanda. Em 2013, na 30ª edição, foi igualmente foi igualmente galardoada com o troféu “Leão de Ouro”,

Ainda pelos seus serviços, a Angop foi galardoada, por duas vezes (1990 e 1992), com a “Estrela de Ouro Internacional de Qualidade”, atribuída pelo “Business Initiative Directions (BID), com sede em Madrid.

Do ponto de vista informativo, a Angop optou, em 1991, pela emissão do seu trabalho 24 sobre 24 horas, e introduziu também algumas inovações.

Em Fevereiro de 2000, a empresa passou a emitir via Internet, tornando num meio de distribuição mais eficaz e com um contacto directo com o público.

Com o lançamento da página na Internet, a Angop registava, nos primeiros três meses, uma média de visitas ao seu site de 800 visualizações da primeira página por dia e cerca de 300 da página 24 sobre 24 em relação de todas as notícias do dia, catalogadas por horário de entrada, em português.

Em inglês, a média diária era de 150 visualizações da primeira página e de 40 na 24 sobre 24 horas, enquanto em francês a media diária era de 110 acessos à primeira página e 37 na 24 sobre 24, sem contar com as outras secções do site (Angola, Angop e Pesquisa).

Este crescimento esteve associado à formação de quadros, pois numa primeira fase a agência admitia jornalistas com a 8ª classe, política que foi alterando ao longo do tempo com a admissão de alguns profissionais do curso médio de jornalismo, contando actualmente com um significativo número de técnicos superiores.

Do sistema de distribuição via telex, a Angop recorreu aos sistemas automáticos, passando ao informático, que permitiu um maior acesso ao sistema elevado de informação.

Em 2008, a empresa entrou numa nova era, lançando o seu Portal Informativo, que permitiu aumentar o seu compromisso com o público.

Com 31 canais, sendo 17 de notícias, 10 com conteúdos generalistas e quatro de vários serviços, o portal funcionou em quatro línguas (português, francês, inglês e espanhol).

No dia 23 de Agosto de 2013, a Angop lançou um novo portal, cuja primeira e segunda fase, que foram até 30 de Outubro, marcou uma nova era na evolução tecnológica da única agência noticiosa do país, uma vez proporciona aos seus usuários maior e melhor qualidade informativa.

A publicação de conteúdo multimédia, nomeadamente o vídeo e áudio, a integração com redes sociais, versão para dispositivos móveis o lançamento do serviço Newsletter constituem as inovações do novo portal.

O novo layout, baseado numa nova arquitectura da informação para facilitar o acesso ao conteúdo, a organização das notícias por assuntos, a gestão de especiais da capa, como destaques de cimeiras, eventos e outros acontecimentos, são outro ganho deste serviço.

As províncias, por seu turno, ganham uma área especial para promover o melhor do que existe de precioso nos seus territórios.

Membro do Pool das Agências noticiosas dos Países Não-Alinhados “NOAL”, desde a sua criação, a Angop assumiu, com grande êxito, a sua presidência, de 1989 a 1992.

Actualmente, a Agência angolana é membro influente do Comité de Coordenação do Pool das Agências de notícias dos Países Não-Alinhados, que reúne uma vez por ano. O Pool tem mais de 100 membros.

A Angop mantém boas relações com a Agência Panafricana de Notícias “PANA”, do qual foi um dos grandes impulsionadores para a sua criação.

Tem igualmente relações com as agências Lusa, de Portugal, Prensa Latina, Cuba, AFP, França, Xinhua, China, Efe, Espanha, Reuter, Grã-Bretanha, entre outras.

Tem como principais estruturas um Presidente do Conselho de Administração e coadjuvado por administradores para as áreas de Informação, Técnica, Gestão, Finanças e Património, Marketing e Pesquisa e Administração e Recursos Humanos.

A área de Informação estrutura-se em duas redacções, que são a Nacional e Internacional, sendo cada uma subdividida em desks.

Cada uma das duas outras direcções adjuntas estrutura-se, por sua vez, em departamentos, sectores e secções.

A Redacção Nacional, adstrita à área de Informação da Angop, é composta pelos Desks Político, Económico, Social, Desportivo, Reconstrução Nacional, Aeroporto, Internet, Documentação, Fotografia, Educação e Cultura e Multimédia.

A Redacção Internacional engloba os Desks Internacional, Francês, África, Inglês, Espanhol e Exterior Português.

Na área Técnica, o Departamento de Manutenção e Instalação é constituído pelos sectores de Electricidade e de Frio, de Laboratório, e com as secções de Reparação e do Economato.

O Departamento de Exploração agrupa os sectores de Telecomunicações, com uma secção de telex e um gabinete de linhas, Sector Gráfico, com as secções de Impressão, encadernação e transportes.

O Departamento de Recursos Humanos divide-se em dois sectores, nomeadamente os sectores de Recursos laborais, abrangendo as secções de Força de trabalho e de Organização e Arquivo, e o do Pessoal e Quadros, integrada pelas secções do Pessoal e de Quadros.

Tem delegações nas 18 províncias de Angola e correspondentes em vários municípios.

Possui um Centro Social, dotado de um posto médico, um restaurante e um refeitório. O posto médico dispõe de uma farmácia e as consultas são feitas por médicos angolanos, podendo atender, diariamente, mais de 10 trabalhadores e seus familiares.

O Folha 8 dá os parabéns a todos quantos deram e dão vida à Angop, convicto de que tudo farão para, em prol da liberdade de imprensa, dar voz a quem a não tem.

Partilhe este Artigo