Quatro anos depois, o Estádio dos Kurikutelas (antigo estádio do Clube Desportivo Ferrovia), localizado na cidade do Huambo, volta a acolher jogos do campeonato angolano de futebol da I divisão (Girabola).

OClube Desportivo Ferrovia foi fundado a 1 de Dezembro de 1930 com a designação oficial de Clube Desportivo Ferrovia de Nova Lisboa (Huambo). O seu Estádio será agora utilizado pelo JGM Académica Sport Clube do Huambo, que este ano se estreia na competição.

A última vez que acolheu um jogo da I divisão (Girabola) foi a 22 de Setembro de 2013, na altura casa emprestada do Clube Recreativo da Caála, que perdeu para o Clube Desportivo da Huíla, por 1-2, em partida da 24ª jornada.

Antes de ser usado pelos “caalenses”, de Fevereiro de 2009 a Setembro de 2013, o Kurikutelas foi sempre reduto oficial do Petro do Huambo, entre 1980 a 2008, incluindo os anos em que esta formação esteve na II divisão (1982, 2006 e 2009)

Porém, o estádio também já acolheu jogos internacionais. No dia da sua inauguração defrontaram-se as selecções de Lourenço Marques (actual Maputo) e Nova Lisboa (Huambo), ao passo que dois anos depois (1949) a selecção anfitriã (Nova Lisboa) recebeu o FC Porto.

Em 1950 foi a vez do Sport Lisboa e Benfica, após a conquista de mais um título nacional e a taça latina, ter vindo a esta região jogar diante da selecção local, no estádio do Ferrovia.

O Clube Desportivo Ferrovia foi o primeiro clube do Planalto Central a sagrar-se Campeão Provincial. Foi campeão provincial de Angola por 2 vezes, 1951 e 1974.

Quanto a jogos da Confederação Africana de Futebol, o estádio foi palco de quatro partidas, das quais a mais recente disputou-se a 21 de Abril de 2013, entre o Recreativo da Caála e o Étoile do Sahel da Tunísia, para a primeira mão da penúltima eliminatória de acesso à fase de grupos da Taça da Confederação Africana.

Antes, a 3 de Março de 2013, o Caála defrontou, no Kurikutelas, o Power Dynamos da Zâmbia, na primeira eliminatória de acesso aos grupos da Taça da Confederação. Ainda neste mesmo estádio, a 30 de Janeiro de 2011 o Caála mediu forças com o Saint George da Etiopia, nas eliminatórias de acesso à fase de grupos da liga africana dos clubes campeões.

Porém, o primeiro jogo sob a égide da Confederação Africana de Futebol disputado no Kurikutelas foi a 11 de Abril de 2004, entre o Petro do Huambo e o Liberty Professional Club do Ghana, para a primeira-mão dos dezasseis avos da extinta Taça da Confederação.

O nome de Kurikutelas surgiu em meados da década 1970, por iniciativa do jornalista Carlos Pereira, na época director da Rádio Nacional de Angola.

O facto de o recinto ter sido edificado numa zona adjacente às oficinas do Caminho-de-Ferro de Benguela (CFB) figura entre as várias hipóteses apresentadas por Carlos Pereira para justificar o nome que optou atribuir ao estádio.

Segundo ele, na época considerado um dos maiores narradores de partidas de futebol, o som produzido pelo movimento dos comboios, cuja linha férrea passa a pouco metros do estádio, assim como a actividade dos operários nas oficinas do CFB, ecoava um som parecido a Kurikutela.

“Okutela”, na língua nacional umbundo, significa martelar e, segundo fontes orais, o nome do estádio também pode ter derivado desta palavra que servia não apenas para caracterizar a actividade dos operários nas oficinas, mas também a passagem do comboio nas proximidades do estádio, cuja capacidade é de oito mil espectadores.

O Comboio-Mala é uma das canções, mas a que ficou no ouvido de todos foi “Kurikutela”. O “Duo Ouro Negro” contava, em “Kurikutela”, a história de uma viagem no Caminho-de-Ferro de Benguela. “Kurikutela” foi a música de estreia de Raul e Milo no Cinema Restauração, em Luanda, e mais tarde no Cinema Roma, em Lisboa.

Partilhe este Artigo