ANGOLA. O presidente da Associação de Empresários de Luanda alertou hoje para os riscos do reforço das parcerias entre os empresários angolanos e chineses, considerando que, além das “grandes oportunidades, também há perigos”.

Francisco Viana falava à imprensa à margem do Fórum de Investimento Angola-China, que hoje arrancou em Luanda, com a participação de mais de 450 empresários chineses.

O empresário chamou atenção para a importância de uma participação efectiva dos angolanos nessa parceria com a China.

“Porque se for para os empresários chineses virem tomar conta dos nossos negócios, isso não é o que esperamos dessa parceira”. Explicou, alertando também para o risco de destruição dos recursos naturais.

Se for para as “grandes florestas serem delapidadas e levar as nossas madeiras para fora, também não é isso que nós queremos”, exemplificou.

O responsável espera que sejam respeitadas as leis existentes no país, como o respeito da fasquia dos 30 por cento para a participação de angolanos na contratação de empresas chinesas.

“Devemos trabalhar mais com o nosso Estado para que realmente desta vez aconteça aquilo que não aconteceu das últimas vezes, apareceram as grandes construtoras chinesas. Depois, às tantas, eles têm camionistas por todo o lado, não empregam os nossos motoristas, às vezes nem sequer têm a nossa carta de condução”, reclamou.

Para Francisco Viana, é preciso as autoridades e os angolanos estarem alertas e “aproveitarem aquilo que é bom, mas não deixar passar o que pode prejudicar o país”.

Partilhe este Artigo