As questões de defesa e segurança, com destaque para os países limítrofes de Angola, vão merecer, este ano, uma “atenção mais cuidada” da diplomacia angolana, anunciou hoje em Luanda o ministro das Relações Exteriores.

G eorges Chikoti, que discursava na abertura da VI reunião de embaixadores angolanos, referiu que a política externa angolana vai continuar a defender as relações de boa vizinhança, baseada em princípios do respeito pela soberania, igualdade, integridade territorial dos Estados, dentro de uma cooperação reciprocamente vantajosa.

Angola tem fronteiras terrestres com a República do Congo, República Democrática do Congo, Zâmbia e Namíbia.

No evento de hoje, o chefe da diplomacia angolana realçou que África continuará dentro das prioridades estratégicas da política externa de Angola, com vista a manter a sua vocação de paz, estabilidade e desenvolvimento nas sub-regiões a que pertence e no continente africano.

Segundo Georges Chikoti, Angola prepara-se para acolher este ano a Conferência sobre Segurança Marítima em África, bem como o Fórum sobre Cultura de Paz, em colaboração com a União Africana e Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

O ministro apontou ainda como prioridades para o presente ano a inserção de Angola nas organizações e instituições, cujos objectivos se coadunam com os interesses nacionais, o estabelecimento de parcerias nos domínios político, económico e social, susceptíveis de promover a imagem do país além-fronteira.

O encontro, que termina hoje, serve para avaliação das actividades desenvolvidas pelos órgãos centrais e externos do Ministério das Relações Exteriores angolano, no âmbito do seu Programa de Acção de 2014, análise e aprovação do plano de actuação para este ano, bem como análise das estratégias para a melhoria da imagem de Angola no exterior e sobre eventuais riscos de terrorismo no país.

Partilhe este Artigo