A malária matou 452 pessoas na província do Bié em 2014, entre 446 478 casos registados, informaram hoje as autoridades sanitárias angolanas.

S egundo o responsável da secção de endemias da Direcção Provincial de Saúde, Nelson Stover, os dados referentes ao ano passado mostram uma redução de 587 mortes, mas um aumento de 59 517 casos da doença, comparativamente a 2013.

Nelson Stover, citado pela Angop, referiu que os vários programas implementados na província do Bié, como a introdução de novos medicamentos, a distribuição de mosquiteiros tratados com insecticida e palestras de sensibilização sobre os cuidados com a doença estão a resultar na redução das mortes.

A malária continua a ser a doença que mais mata em Angola, afectando sobretudo crianças e mulheres grávidas.

Entre as diversas acções governamentais de combate à doença constam igualmente a pulverização de ruas e casas, a destruição dos focos de contaminação, testes rápidos para detectar a doença e formação de pessoal médico.

Partilhe este Artigo