A Fundação Fé e Cooperação divulgou o relatório do voluntariado missionário e informa que 900 portugueses participam em acções internacionais e nacionais, sendo “a maioria estudantes e pessoas empregadas”.

“N o ano de 2015, são cerca de 624 os que realizam actividades de voluntariado/missão em Portugal. 276 jovens e adultos realizam projectos de voluntariado missionário em países em desenvolvimento”, contabiliza a fundação da Conferência Episcopal Portuguesa.

Em comunicado, a Fundação Fé e Cooperação (FEC) revela que os dados divulgados resultam de um inquérito realizado às 61 entidades que integram a Rede de Voluntariado Missionário onde tem responsabilidade de coordenação. Das 61 entidades responderam 44, “menos cinco do que em 2014, e 29 enviam voluntários em missão, “menos nove do que em 2014”.

A fundação explica que os principais continentes a receber voluntários são África, América do Sul e Central e Ásia recebendo a totalidade dos 276 voluntários portugueses internacionais.

Entre projectos de curta e longa duração, o relatório do voluntariado missionário precisa que Moçambique vai acolher 74 voluntários enquanto Cabo Verde já acolhe 71; Angola 38; São Tomé e Príncipe 36; o Brasil conta com 27; Guiné-Bissau 18 e Timor-Leste recebe 9. Para além dos países lusófonos a Bolívia recebe dois voluntários e o Peru recebe um.

Segundo a FEC, a maioria dos 276 voluntários que parte em missão são estudantes e pessoas empregadas que dedicam a suas férias aos voluntariado e destes 54 “repetem a experiência e partem de novo”.

A faixa etária com mais relevo situa-se entre os 18 e os 30 anos e 88% são estudantes, recém-licenciados ou pessoas empregadas que dedicam as férias ao “desenvolvimento de projectos de voluntariado internacional”.

Para projectos de curta duração, desde os 15 dias aos seis meses, viajam 249 pessoas e os restantes 27 voluntários dedicam-se a projectos entre sete meses a dois ou mais anos. “Destes, 73% são mulheres e 27% homens”, explica a Fundação Fé e Cooperação.

O relatório do voluntariado missionário destaca ainda que oito pessoas, “com idades entre os 18 e os 35 anos”, deixam o seu emprego e partem este ano para países em desenvolvimento.

Segundo os dados recolhidos, 12 pessoas que já se encontravam desempregadas também vão dedicar o “seu tempo a experiências de voluntariado missionário”.

Os voluntários missionários dedicam-se à educação e formação, que “continua a ser o principal foco”, mas com acção também na agricultura, animação sociocultural, construção de infra-estruturas, pastoral, saúde, dinamização comunitária.

Segundo a FEC, o público-alvo preferencial das entidades no terreno são “as crianças (17%), jovens (15%), famílias (8%)” e ainda a capacitação das mulheres (9%).

A nível nacional, informa a organização católica, são 624 jovens e adultos que em 2015 realizam actividades de voluntariado missionário com uma duração variada e que é desenvolvido em todas as áreas do país: Maior “incidência em Lisboa e Vale do Tejo – 228 voluntários; nas Beiras (Alta e Baixa) – 89; e Minho com um total de 76 voluntários em acção”.

“O voluntariado missionário distingue-se do voluntariado internacional para a cooperação principalmente pela sua génese cristã-católica”, diferencia ainda a FEC.

Partilhe este Artigo