O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, recebeu, em Washington, o chefe da diplomacia angolana, Georges Chikoti, tendo ambos prometido reforçar a cooperação bilateral.

S obre o encontro, John Kerry disse: “Concordámos em encetar um bom diálogo, numa base de continuidade, que tem estado ausente da nossa relação, francamente, por demasiado tempo”.

Uma “relação diferente” entre os dois países passa por alargar a cooperação, que já existe para as áreas da segurança marítima, do combate à pirataria e à pesca ilegal, das relações económicas.

“Angola é um dos nossos mais importantes parceiros comerciais em África”, salientou John Kerry. Acrescentando que os EUA querem “aprofundar” a cooperação com Angola nos sectores de agricultura, tecnologia, energia e infra-estruturas.

“Este é um momento de grande oportunidade para a parceria EUA-Angola. É também um momento de decisão. Queremos ser um parceiro preferencial de Angola”, disse.

Considerando que este é o momento de “promessa e decisão para todos os africanos”, o chefe da diplomacia instou Angola a “retirar o máximo deste momento, através de um importante papel como líder regional, sobretudo sobre assuntos de segurança”.

Apontando os desafios que Angola enfrentará como membro do Conselho de Segurança das Nações Unidas, a partir de Janeiro, o líder da diplomacia americana agradeceu ao Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, o “compromisso pessoal” com a promoção da paz na região dos Grandes Lagos.

Georges Chikoti sublinhou, por seu lado, que “muita coisa tem acontecido entre os dois países” e que a cooperação bilateral “tem acelerado”.

O ministro angolano destacou ainda que, para além de assuntos bilaterais, discutiu com John Kerry outros assuntos, como direitos humanos e tráfico de pessoas.

Partilhe este Artigo