O chefe do Estado-Maior General adjunto para a Educação Patriótica das Forças Armadas Angolanas, general Egídio de Sousa e Santos, recomendou, no município do Lobito, rigorosidade no processo de formação e enquadramento dos militares, com vista à erradicação de mortes nas vias públicas, devido a elevado índice de sinistralidade.

De acordo com o general, que falava no acto de encerramento das II Jornadas Patriótico-Militares, decorridas de 28 de Julho a 24 de Outubro, é necessário adequar-se os métodos de formação a nova realidade.

Egídio de Sousa Santos recomendou aos soldados, sargentos e oficiais participação, de forma activa, em palestras, campanhas e seminários sobre sinistralidade rodoviária, visto que a situação dos acidentes, nas vias públicas, têm sido assunto de debate sério em vários fóruns nacionais e internacionais.

Por outro lado, segundo o general, a preparação combativa é determinante para a manutenção operativa das forças armadas e o cumprimento das missões para as quais foram instituídas, o que torna necessário que cada soldado ou oficial tenha a preparação física e atlética que lhe permita participar, sem dificuldades, em qualquer exercício ou manobra militar.

“Em função da atenção que o Estado tem dado às Forças Armadas Angolanas, os efectivos das escolas e academias militares angolanas devem ter cautela quando estiverem a conduzir. Não podem, de maneira alguma, fazer uso de bebidas alcoólicas, drogas e outros produtos psicotrópicos”, recomendou.

Para corresponder à exigência do Chefe de Estado e Comandante-em-Chefe das FAA, de acordo com o responsável militar, torna-se necessário que os comandantes das unidades exerçam maior disciplina sobre os militares, promovendo o combate à violência doméstica, uso excessivo de bebidas alcoólicas, consumo de drogas, entre outras práticas anti-sociais.

Com duração de três meses, as II Jornadas Patrióticas Militares das Forças Armadas Angolanas serviram para capacitar os efectivos em acções combativas, ensino e outras de âmbito militar, a serem desenvolvidas durante os anos de 2014/2015.

Partilhe este Artigo