Os especialistas de Investigação Criminal da Polícia de Inspecção e Investigação das Actividades Económicas foram instados, na cidade do Huambo, a desencadearem acções rigorosas contra o narcotráfico no país.

O apelo é do 2º comandante da Polícia Nacional na província do Huambo, sub-comissário Manuel Assis Neto (foto), discursando no encerramento do seminário sobre “Investigação criminal e trabalho operativo secreto”.

Realçou, na ocasião, que essas acções devem ser desencadeadas principalmente em distintos lugares de lazer ou de diversão músico-cultural, de lavagem de viaturas, bem como nos aeroportos e estações dos caminhos-de-ferro, para que se possa inibir a tendência de pequenos grupos se tornarem numa ameaça para a ordem pública.

“Nesta província do Huambo, atendendo à sua cultura, hábitos e costumes, posso afirmar que não é uma região propensa a crimes de grande gabarito, apesar da criminalidade latente”, disse.

O sub-comissário Manuel Assis Neto admitiu que nos últimos dias tem-se registado, frequentemente, crimes violentos, caracterizados em homicídios e ofensas corporais.

Afirmou que, de acordo com a situação geográfica da província do Huambo, tem sido utilizada por meliantes de outras localidades para a recepção de artigos furtados em outros pontos do país, como viaturas roubadas, bem como alguns assaltos a mão armada.

Apelou à necessidade da sociedade redobrar as atenções em colaboração com a Polícia Nacional, na prevenção de crimes e esclarecimento dos mesmos.

Aos formados, o responsável disse que coloquem em prática os conhecimentos adquiridos, tendo-os como principais linhas de força de orientação.

“Que doravante a vossa actuação seja com alto profissionalismo e capacidade de intervenção para com aqueles que entram em conflito com a lei, para melhor servir a população”, exigiu.

Partilhe este Artigo