A juventude angolana continua a mostrar que tem o cérebro no lugar certo, que tem coluna vertebral, e que sabe que não há comparação entre o que se perde por fracassar e o que se perde por não tentar.