O maior coleccionador de arte africana, o Kongo-Angolano, Sindika Dokolo, que morreu no dia 29.10, no Dubai, segundo uma fonte familiar, poderá ser enterrado na República Democrática do Congo, onde reside a maioria da família.

A mãe, os outros dois irmãos maternos, para além dos outros paternos, todos residem no Congo e, na impossibilidade de o funeral se realizar em Angola, uma vez a esposa, Isabel dos Santos, ter problemas com a justiça, tudo leva a crer que a opção final, será de os restos mortais de Sindika terem a sua última morada no país vizinho.

“A mãe não vive na Dinamarca faz muito tempo, tão pouco na França ou Bélgica, logo, não podendo ser no Dubai e, se a residência da maioria dos familiares é em Kinshasa, tudo aponta, que seja aqui”, disse ao Folha 8 Matando Nzinga, um amigo muito próximo da família, não descartando de ser este, também, o desejo das próprias autoridades zairenses, “que desde a primeira hora têm dado todo apoio a família e encetando contactos com as autoridades dos Emiratos, por ele ser, também, nosso compatriota”.

O F8 tentou obter a versão da esposa, mas não conseguiu, pois segundo fonte muito próxima, ter dito: “Ela está muito abalada, não consegue falar com ninguém, nestes últimos dois dias. Deixemos passar o tempo, por favor e respeitem a dor da família” e assim fizemos, endereçando sentidos sentimentos de pesar pelo passamento físico do ente querido.

Recorde-se que o Presidente da República Democrática do Congo (RD Congo), Félix Tshisekedi, expressou “o seu profundo pesar” pela morte de Sindika Dokolo: “Informado da morte brutal de Sindika Dokolo, sua excelência o Presidente da República, Félix-Antoine Tshisekedi Tshilombo, expressa o seu profundo pesar e toda a sua compaixão à esposa do ilustre falecido, aos órfãos e a toda a sua família”, refere uma publicação da Presidência da RD Congo na plataforma Twitter.

Também o Presidente de Angola, João Lourenço, dirigiu a José Eduardo dos Santos uma nota de pesar pela morte de Sindika Dokolo. Num texto divulgado no twitter, João Lourenço dirigiu-se directamente ao ex-presidente de Angola, José Eduardo dos Santos, para manifestar o seu pesar pela morte inesperada de Sindika Dokolo.

“Manifesto os mais profundos sentimentos de pesar ao Presidente José Eduardo dos Santos, pela morte trágica de seu genro Sindika Dokolo”, escreveu o Presidente angolano.

Entretanto, a família de Sindika Dokolo agradece as declarações de apoio e de solidariedade recebidas: “A família agradece a todos os que expressaram sentimentos de pesar, solidariedade e bondade e que partilham a nossa dor”, pode ler-se num comunicado da família do empresário. “É com profundo pesar e consternação que a família Dokolo, esposa, filhos, mãe, irmão e irmãs, neste momento de enorme tristeza e dor agradece a solidariedade de todos”, acrescenta.

Sindika Dokolo é conhecido por ser um dos rostos da oposição da República Democrática do Congo (RD Congo) e um dos promotores do regresso da arte africana, exposta na Europa, a África, reparando aquilo que considerava ser uma consequência da colonização do continente.

Legenda: Luzolo Dokolo (irmão), Hanne Kruse Dokolo (mãe), Sindika Dokolo, Manzanza Dokolo (irmã)