Os amigos e colegas do activista cívico Fernando António Tomás, mais conhecido por “Nicolas o Radical”, lançam um dramático apelo, ao qual o Folha 8 se junta solidariamente, para que seja prestada ajuda a este compatriota que vive momentos dramáticos:

«S abemos que constituímos um povo generoso e solidário. Muitos de nós, temos ajudado várias pessoas que nem sequer conhecemos pessoalmente, em inúmeras situações, metendo sempre em primeiro lugar os interesses do nosso próximo. Neste momento estamos a necessitar de ajuda urgente para um companheiro de luta, o nosso irmão, amigo e colega “Nicolas”, que neste momento encontra-se numa situação de saúde bastante preocupante!

QUEM É O NICOLAS!

Provavelmente, muitos não conhecem o Nicolas, que é uma pessoa humilde e trabalhadora, cujas acções de grande impacto para Angola, são realizadas sem dar na cara ou ao ponto de obter aquela visibilidade ou popularidade que muitos outros activistas têm.

A verdade é que Fernando António Tomás, ou simplesmente “Nicolas”, é um activista cívico que por muitos anos tem lutado a favor da Democracia e particularmente dos Direitos Humanos em Angola. Tem dois filhos e esposa. Profissionalmente, ele é mecânico de geradores industriais.

Ele fez parte do mediático processo dos 15+2 jovens activistas que o Governo de Angola, liderado por José Eduardo dos Santos e o partido MPLA, prendeu injustamente no dia 20 de Junho de 2015, enquanto participavam num workshop de intercâmbio de ideias, e consequentemente foram acusados de tentativa de golpe de Estado no país.

Conforme diz o adágio: “a acusação pode ser colectiva mas a sentença é individual”; Nesta vertente, após o julgamento na 14ª secção do Tribunal provincial de Luanda, Nicolas, que já estava preso há quase um ano com seus companheiros, foi condenado a quatro (4) anos e seis (6) meses de prisão maior, respectivamente, por crimes de actos preparatórios para uma rebelião e de Associação de malfeitores.

Graças às inúmeras intervenções, protestos, vigílias, orações de todas as pessoas e organizações de bem, os 15+2 foram “amnistiados” e postos em liberdade, depois de cumprirem um (1) ano de prisão.

O QUE REALMENTE SE PASSA?

1. O Nicolas é um jovem mecânico auto-suficiente ou simplesmente que trabalhava por conta própria, ganhando a vida reparando e/ou fazendo manutenções de geradores industriais de empresas e de particulares, especialmente no centro da cidade de Luanda, teve os seus contratos cancelados porque os proprietários temiam represálias caso continuassem a trabalhar ou serem conotados com alguém que o partido no poder (o MPLA) esteve acusando de tentativa de golpe de Estado. No entanto, perdeu toda a sua clientela depois da prisão, e houve dificuldade em encontrar novos pelo facto de o uso de geradores ter baixado muito nos últimos tempos.

2. Atirado ao desemprego, não tendo uma fonte de entrada financeira fixa, não tem alimentação regular ou até mesmo saudável. Consequentemente, nos últimos meses a situação de saúde agravou-se, consistindo numa dor intensa na barriga ou nos intestinos que quando lhe actua, normalmente dura um dia inteiro. De princípio, pensou-se que era febre tifóide mas as intervenções provaram o contrário e a doença persiste. Quando está neste estado, vive uma prisão de ventre, tem ficado até 5 dias sem defecar, urinar ou até mesmo com apetite para comer alguma coisa. Ele não sabe exactamente sobre o problema de saúde que lhe está a acometer e que tem lhe debilitado a cada dia que passa. Não sabe também se é problema crónico ou passageiro.

3. Nos últimos dias tem tido contacto com alguns médicos e destes contactos resultaram orientações para fazer exames específicos e são vários, podendo vir a crescerem a medida que os resultados forem sendo analisados pelos médicos.

O QUE SE PRECISA?

Diante do desemprego e da falta de apoios, o nosso amigo Nicolas precisa da sua ajuda para minimizar a dor neste momento de necessidade. Esta ajuda consubstancia-se em:
– Ajuda financeira para arcar com as despesas médicas;
– Ajuda alimentar e outros géneros para o restabelecimento da sua saúde física;
– Ajuda médico-medicamentosa;
– E toda e qualquer outra que se julgar essencial para o seu estado.

Pois o Nicolas não tem condições para arcar com os mesmos. Com base no acima referido, este é o nosso pedido de ajuda para o irmão!

Contamos contigo! Obrigado.
Informação Bancária:
Conta: 1755909555-30
IBAN: AO06-0006-0000-7559-0955-3017-0
Titular: Campos João Manuel [Cunhado]
Banco: BFA.
Contactos Telefónicos:
+244 937 775 616
+244 993 606 348
+244 925 407 240
Pelo(a)s amigo(a)s do Nicolas!
– Mbanza Hanza
– Inocêncio de Brito
– Arante Kivuvu
– Rosa Conde
– Nelson Dibango»

Partilhe este Artigo