O João Pinto, dizem, quando esteve a estudar em Portugal trabalhou nas obras da construção civil para ganhar algum kumbu. Será que nessa ocupação caiu-lhe um tijolo na cabeça e traumatizou-o de tal maneira que ficou dessincronizado da mona para o resto da vida? Ou será que este zungueiro da banha da cobra nasceu com o GPS cerebral avariado?

Por Domingos Kambunji

A sua homeostasia acaba por desaguar sempre no disparate e na demagogia. Ele é docente universitário? Assim se explica o facto de a qualidade do Ensino, em geral, na Re(i)pública da Angola do MPLA cheirar tanto a katinga. Como é que os estudantes poderão ter orgulho num professor com um processamento mental tão saprófita, uma personalidade tão anedótica?

Como é que um partido poderá ter nas suas fileiras um militante tão asnático? Esse partido só poderá ter uma ideologia de incoerência e contradição, fruto da desonestidade ética e intelectual e de uma história manchada de despotismo, oportunismo parasitário e crimes contra a humanidade.

O galináceo infantil agora lança cobras e lagartos contra o novo presidente da UNITA. É óbvio que a superioridade intelectual do Adalberto da Costa Júnior causa muita inveja ao Pinto, a ave benjamim do galinheiro do MPLA. O Pinto acusa o Adalberto da Costa Júnior de ter sido o propagandista de Savimbi na Europa. Se foi escolhido para ser propagandista é porque lhe foi reconhecida inteligência para tal.

Ao João Pinto foi servente da construção civil na Europa, não lhe foi reconhecida inteligência sequer para ser propagandista do MPLA enquanto viveu na Europa. O Ensino na Re(i)pública da Angola do MPLA está bastante desgraçado porque até um servente da construção civil da Europa consegue ser admitido como professor universitário, apenas porque revelou capacidade para ser zungueiro de banha da cobra.

Se João Pinto, com as habilitações e experiência de servente das obras de construção civil na Europa, conseguiu ser professor universitário de Direito… um carpinteiro da Europa, habituado a usar o serrote e o martelo, se for militante do MPLA, poderá exercer a função de médico cirurgião na Re(i)pública da Angola do MPLA? E se um militante do MPLA tiver exercido a profissão de canalizador na Europa… na Re(i)pública da Angola do MPLA poderá ser nomeado para o cargo de Ministro das Telecomunicações e dos Satélites Surdos e Mudos?

O Pinto diz que “o MPLA é um amplo movimento que em cada fase da História surpreende”. De facto surpreendeu quando eliminou adversários dentro de mesmo partido só porque pensavam diferente. O MPLA surpreendeu quando o assassino Agostinho Neto perdeu as eleições para a presidência e manteve-se prepotentemente no cargo. O MPLA surpreendeu quando decidiu desrespeitar os acordos de Alvor e iniciou a guerra civil em Angola por temer eleições livres e democráticas, sem fraudes eleitorais.

O MPLA surpreendeu quando mandou fuzilar muitas dezenas de milhar de angolanos nos acontecimentos do 27 de Maio de 1977. O MPLA surpreendeu quando, depois de implantada a “PAZ PODRE”, permitiu que os seus principais dirigentes e generais roubassem muitíssimos biliões de dólares do Estado. O MPLA surpreendeu quando inventou uma fictícia vitória na batalha do Kuíto Kuanavale e agora vem-se a saber que foi uma enorme mentira. Nessa região perderam a vida cerca de cinco mil militares das FAPLA, ingloriamente, para permitirem a roubalheira no reinado de José Eduardo dos Santos, período no qual o actual presidente, e ex-Ministro da Defesa, enriqueceu em progressão geométrica galopante.

O MPLA surpreendeu quando deu a nacionalidade angolana a vigaristas mundiais que, através da dupla nacionalidade, roubaram e levaram biliões de dólares para o estrangeiro e não repatriam o produto dessas razias. O MPLA surpreende quando dá Lexus, no valor de muitas dezenas de milhar de dólares, aos deputados e os trabalhadores que auferem o salário mínimo nacional ganham por mês menos do que os pobres do países ricos recebem por dia. O MPLA surpreende quando passa o tempo a vomitar planos de desenvolvimento e o nosso país está no grupo dos países mais atrasados do Mundo, com a pior qualidade de vida.

O Pinto acusa o novo presidente da UNITA de defender o luso-tropicalismo. Esta conclusão talvez seja uma das consequências do alcoolismo que o MPLA defendeu e implementou em vários comícios e outras reuniões de massas, para captar simpatizantes e militantes. O que o Adalberto da Costa Júnior combateu foi o ango-sovietismo, quando o MPLA tentou impor em Angola uma ideologia marxista-leninista fracassada.

O que é que o Pinto defende e combate? Nada! O Pinto obedece apenas às “ordens superiores” de quem está no poder, de um modo matumbo, oportunístico e parasitário. Não importa se quem está no poder obedece às “ordens superiores” da Rússia, da China ou da Coreia do Norte. Esta é uma característica dos intelectuais boçais que piam, piam, piam muito mas apenas dizem o que os outros pensam, mesmo que esse conjunto de pensamentos seja uma enorme aberração, como é o caso dos 44 anos do MPLA na governação!

Partilhe este artigo