Coitado, o Victor ainda está traumatizado depois de ter participado num debate contra o William Tonet (fundador e director do Folha 8, jornal que desde 1995 dá voz a quem a não tem), no programa radiofónico “Angola Fala Só” da Voz da América.

Por Domingos Kambunji

Há pessoas que perguntam: Porque será que o governo da Re(i)pública da Angola do MPLA gasta tanto dinheiro com o salário deste bajulador oficial do jornal da Angola do MPLA só para ele publicar banalidades e muitos disparates?

O Victor Silva diz que andam muitas pessoas, de calculadora na mão, somando os números do desempenho da economia da Re(i)pública da Angola do MPLA. Devem ficar muito desanimadas por observarem resultados medíocres, tão negativos. Essas pessoas, pelo menos, sabem fazem contas de somar. O MPLA, nas últimas quatro décadas, apenas tem demonstrado capacidade para efectuar contas de subtrair, de sumir e de “subtramar”, adicionando cada vez mais vigarices e trapalhadas na corrupção e na incompetência.

Essa “malta da calculadora” até percebe alguma coisa sobre aritmética, contrariamente o que acontece ao governo e à direcção do jornal da Angola do MPLA que, quando pretende fazer cálculos, apresenta sempre contas com resultados errados.

Essa “malta da calculadora” até tem a certeza de que os grandes avanços na economia, que o Victor Silva propagandeia, são demagogia e fruto da ignorância. São ficção.

A microcefalia revelada ao abordar as medidas macroeconómicas é, como dizia um nosso professor de economia, “de ir às lágrimas”. O jornal da Re(i)pública da Angola do MPLA, em aritmética, é um zero à esquerda.

A capacidade que o Victor Silva revela para a economia e gestão é a mesma que um açougueiro revela para ser médico cirurgião. Mantem-se a tradição, o Victor continua a plagiar a “doentelogia” do José Roubeiro na ”digerência” do mesmo jornal da Angola do MPLA. É mau, muito mau, alguém que se apresenta como jornalista funcionar apenas como boca de aluguer na passagem da mensagem do Departamento de Propaganda e Informação do Partido que se tem destacado apenas na corrupção.

O decorrer dos anos tem-nos mostrado que todas as previsões da evolução da economia na Re(i)pública da Angola do MPLA, efectuadas pelos “sabetudos” do jornal da Angola do MPLA, estavam totalmente erradas. Este meio de propaganda do MPLA até chegou ao cúmulo de dizer que a Re(i)pública não sofreria as consequências da, ainda recente, crise económica internacional porque o governo conseguiu diversificar a economia atempadamente, quando continuavam e continuam a morrer cidadãos devido à fome. Mesmo que se confirmem as previsões mais optimistas da evolução da economia, o que é mais provável não acontecer, isso significaria que a grande maioria das pessoas que sobrevivem na pobreza continuarão a sobreviver, se não morrerem, na miséria.

A “malta” do jornal da Angola do MPLA, que pensa que as calculadoras devem ser usadas com os dedos dos pés, continua a adicionar desculpas para as culpas. No tempo do José Roubeiro dizia-se que a culpa era do colonialismo, do capitalismo internacional, da crise económica mundial, da UNITA, do Savimbi…

Agora o governo do MPLA acrescenta mais duas desculpas: a culpa também é da seca no Cunene e do governo do José Eduardo dos Santos, do qual fez parte do João Lourenço, porque deixou os cofres vazios!…

Partilhe este artigo